Palmas

Representantes da cooperativa paranaense Batavo devem vir ao Tocantins nos próximos dias 23 e 24 para conhecer “in loco” as vantagens oferecidas pelo Estado. Além da realização de reuniões técnicas com membros do Governo do Estado, o grupo também deve visitar áreas de irrigação em busca da aquisição de 15 mil hectares de terras.

Essa informação foi repassada pelo secretário de Indústria e Comércio, Paulo Massuia, ao explicar que o Governo tem trabalhado no desenvolvimento de práticas que resultem na prospecção de investimentos para o Estado. “A decisão do grupo é resultado da viagem de uma comitiva tocantinense a Curitiba, no mês passado”, explicou.

Além da viagem a Curitiba, Massuia também esteve em São Paulo, na semana passada, apresentando o potencial estrutural do Tocantins aos investidores locais. “Nós realizamos duas reuniões muito importantes. Essa prática faz parte do projeto do Governo que busca a atração de investimentos e investidores para o desenvolvimento econômico do Tocantins”, disse o secretário.

A primeira reunião aconteceu com representantes da Danone. Segundo o secretário, a empresa mostrou-se interessada em implantar um centro de distribuição no Estado. “Eles demonstraram interesse por Araguaína ou Gurupi, mas nós também apresentamos outras possibilidades, como é o caso de Palmas e Paraíso”, destacou. Massuia acredita que os incentivos fiscais oferecidos pelo Governo, aliados à infraestrutura tocantinense, farão com que a empresa se instale a fábrica no Estado ainda este ano.

O segundo encontro de Massuia foi com empresários do ramo da logística. O objetivo era traçar alternativas que culminem na melhoria do sistema logístico da região Norte do Brasil. “Nós queríamos identificar os entraves e traçar alternativas capazes de aproveitar os investimentos existentes com a propositura de investimentos”, frisou o secretário, ressaltando que os empresários ficaram impressionados com o engajamento do Governo em transformar o Tocantins em referência logística. (Secom)

Por: Redação

Tags: Danone, Paulo Massuia