Estado

Foto: Divulgação

O Sindicato dos Profissionais da Enfermagem do Estado do Tocantins – SEET visitou o Hospital Geral Público de Palmas (HGPP) para verificar denúncias de que a Pró-Saúde estaria coagindo profissionais a pedirem demissão. De acordo com o sindicato, seria um plano para promover aviso prévio a esses servidores, contratados pela Organização Social para cargos de Coordenações, para depois serem recontratados pelo governo do Estado.

O presidente do sindicato, Ismael Pereira, afirmou que a medida acabou não sendo tomada. “Segundo os profissionais envolvidos, a Pró-Saúde já tinha um movimento que visava submetê-los ao aviso prévio na última quarta feira. Pedindo demissão eles perderiam todos os direitos garantidos pela CLT. Em contato com profissionais do hospital, fui informado que a tão temida chamada para serem dispensados não aconteceu e que eles voltaram para a assistência”, declarou, acrescentando que a promessa da Pró-Saúde seria que os demitidos, iriam ser recontratados pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesau).

“Achamos pouco provável isso acontecer pelo fato do governo estar proibido de fazer tais contratações, por orientação do Supremo Tribunal Federal. Sem falar que ainda temos o quadro reserva do concurso público da saúde, realizado em 2009,” completou.

Ar Condicionado

Ainda durante a visita ao HGPP, o Sindicato afirma queconfirmou falha no aparelho de ar condicionado da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Adulta. Segundo o sindicato, para amenizar o calor ventiladores chegaram a serem usados. O Seet informou ainda que uma funcionária confirmou que o problema foi resolvido parcialmente, com o funcionamento de dois aparelhos de ar condicionado.

“Isso nunca poderia ter acontecido. É colocar em risco, tanto a saúde dos profissionais que ali laboram como a dos clientes/pacientes/usuários que recebem atendimento. O pior é que com imunidade baixa os pacientes poderiam ter facilmente complicações de saúde”, lembra o presidente. (Ascom Seet)