Turismo & Lazer

Foto: Divulgação

As gravações de seriados, reality shows e filmes em longa metragem em regiões turísticas como o Jalapão e Cantão valorizaram as belezas dos pontos escolhidos e transformaram a realidade de muitas famílias e pessoas que trabalharam nas produções. A Agência de Desenvolvimento Turístico (Adtur) apoiou as iniciativas de empreendedores que pretendem capitalizar e explorar este novo conceito de turismo, o cinematográfico, e enviou equipe para dar suporte técnico aos estabelecimentos.

A consultoria focou as boas práticas no setor de alimentos e bebidas e meios de hospedagem, orientando quanto à qualidade nos serviços turísticos, que é um diferencial para a comercialização do produto. Foi sugerida a melhoria na estrutura física dos estabelecimentos e em sua apresentação como decoração, cardápio, uso do uniforme e buscando oferecer serviços agregados como espaço para artesanato local e música ambiente regional.

O presidente da Adtur, Lucio Flavo Adorno, está ciente da necessidade de aprimorar as condições de desenvolvimento do segmento de turismo cinematográfico, através da recuperação e manutenção dos cenários e da qualificação contínua desses novos receptivos.

Segundo o Ministério do Turismo, uma produção de filmagem internacional gasta, em média, entre 100 a 200 mil dólares ao dia na região onde filma, e dura de dois a três meses. Os que souberam identificar novos segmentos caminham hoje com mais sustentabilidade econômica, com confiança na presença dos visitantes, que, seguramente, virão aos roteiros dentro deste novo conceito de promoção do turismo.

Novas oportunidades

São casos de sucesso movimentando um micro cosmo de hospedagem, alimentação e estrutura. Na “Fazenda Progresso”, do senhor Antonio de Paula, camping instalado às margens do rio Novo, no Jalapão, vivencia-se um olhar diferente do proprietário, atento às oportunidades que surgiram. Animado, sente o fluxo crescente de turistas da Bahia, Sergipe, Distrito Federal, Rio e São Paulo após as gravações, interessados em conhecer paisagens, trilhas e praias usadas como cenários.

Para corresponder a este estímulo do receptivo oferece hospedagem em cabanas cobertas com palha de buriti, forradas e mobiliadas com camas e mesas e já quer instalar banheiros internos, com mais conforto para os visitantes. Por 70 reais a diária, com refeições, redário, espaço para churrascos e energia solar aguarda a temporada de férias, sempre um rescaldo para as finanças, diz. Uma atratividade do camping são as praias muito limpas, vegetação intocada, e águas completamente transparentes, morada do pato mergulhão.

Mateiros, a 360 km de Palmas, desencantou em equipamentos hoteleiros e a oferta hoje é de 150 leitos. A mais recente e relaxante experiência é o camping e restaurante “Beira da Mata”, do senhor Emivaldo Rufo, o popular “Fei Véi”. Depois de trabalhar por três meses como “Omeleteman” durante o Survivor, montou seu próprio negócio. Como atração o museu exibindo peças de adereços, utensílios do seriado e vestimentas. Mais à frente, quer construir chalés já que, segundo ele, a procura está grande.

A Cachoeira da Velha, Prainha do Rio Novo, Cachoeira da Formiga, Morro da Catedral, Morro Vermelho, o Rio Sono e o Fervedouro do Alecrim, em São Felix, foram palco para gravações do longa metragem “ Deus é Brasileiro”, cenas da novela Araguaia, e Xingu. Este filme leva o turista a conhecer tanto o Jalapão quanto o Parque Estadual do Cantão, com locações nos rios Araguaia e Coco. O governo investe neste propósito, incentivando parcerias que promovam o aproveitamento econômico dessa área, sempre quando tais iniciativas, possibilitem a utilização consciente dos recursos naturais.

A operadora CC Trekking, parceira da Rota da Iguana, que formatou e está inserindo no mercado o roteiro “Nas Trilhas do Cinema”, é exemplo de empresa que acredita nos benefícios que os turistas cinematográficos podem trazer. Para disponibilizar receptivo de qualidade Leonardo Azevedo, dono da operadora, propôs aliança comercial com o restaurante “Sabor do Araguaia”, de dona Constância, que já reformou áreas sanitárias e ampliou o cardápio típico. Além de dar consultoria em capacitação para a mão de obra da pousada Entre Rios, também parceira, Azevedo instalou Centro de Atendimento ao Turista na praça central de Caseara.

Canoas indígenas utilizadas na gravação do filme Xingu, levam turistas na trilha de ecoturismo alagada. Conduzidos por guias pelo ecótono, com elementos da floresta Amazônica, do Cerrado e Pantanal, visitam a Ilha do Levi, imperdível, para conversas com o ribeirinho Levi Anastácio, folclórico morador da região. Ele é um dos que acreditam que o turismo vai “fazer crescer nossa gente”. Segundo Leonardo, o site da empresa recebia em torno de 50 visitas antes da exibição do filme e após a divulgação, principalmente nas redes sociais, subiu para 200 acessos. (Ascom Adtur)

Por: Redação

Tags: Adtur, Cantão, jalapão, Lúcio Flavo Adorno