Polí­tica

O grupo de oito partidos - PMDB, PP, PT, PPS, PDT, PHS, PCdoB e PSB- realizará no dia 10 de junho um evento para selar a união em prol das eleições de outubro deste ano na capital. No encontro o grupo pretende através das lideranças e pré-candidatos reforçar a intenção de seguirem unidos para o pleito.

Para o presidente metropolitano do PSB e também pré-candidato do partido, Alan Barbiero o evento terá um grande significado nesta fase da disputa. “No dia 10 de junho vamos fazer esse grande evento para demonstrar a nossa força”, salientou.

O grupo intensificou as mobilizações desde a semana passada com uma série de reuniões e também com a deliberação de que o PR não integra o grupo em razão de, segundo os integrantes, não ter declarado claramente oposição ao governo do Estado.

Integrantes do grupo afirmam e Barbiero confirmou que os partidos mesmo sendo ligados ao prefeito Raul Filho (PT) não são exclusivamente da base do petista. “Nosso grupo quer construir um projeto para Palmas e não se prende a uma liderança, somos oito partidos que queremos ter o apoio do Raul Filho e demais lideranças”, disse.

Os partidos apoiaram a reeleição de Raul Filho em 2008 e aguardam reciprocidade de apoio neste ano, segundo informou Barbiero.“Apoiamos Raul e esperamos reciprocidade”, salientou. O grupo pretende formar uma ampla frente de partidos com apoio do prefeito para enfrentar o candidato do governo estadual, deputado estadual Marcelo Lelis (PV) nas urnas.

Com relação ao PR o prefeito Raul Filho fez visita ao senador João Ribeiro em São Paulo mas já afirmou que a decisão sobre participação do partido no grupo não é apenas dele. Os pré-candidatos do grupo dos oito devem se reunir com o prefeito para tratar do assunto mas já decidiram por consenso a exclusão do PR. O deputado e pré-candidato do PPS, Sargento Aragão também confirmou a decisão de não considerar do grupo, a pré-candidata do PR ao Paço Municipal, Luana Ribeiro.

Por outro lado, vereadores da base de Raul que são ligados ao PR e que apoiam o nome da deputada estadual Luana Ribeiro tem tentado descaracterizar a decisão do grupo com relação ao PR.