Economia

Foto: Divulgação

A publicação, no último dia 20 de dezembro, do edital de licitação para a construção do TECA – Terminal de Logística de Cargas do Aeroporto de Palmas, pelo Diário Oficial da União, fechou com êxito os projetos relacionados à logística do Tocantins nesse ano.

Segundo o secretário estadual da Indústria e do Comércio, Paulo Massuia, o novo terminal alfandegado facilitará a exportação e a importação de insumos e produtos, conferindo melhores condições de competitividade às empresas e também a possibilidade de atração de novos empreendimentos. “Vários produtores, inclusive da Bahia, já entraram em contato conosco para falar sobre as vantagens, em termos de custos e agilidade, de poder exportar direto do aeroporto de Palmas. Conquistar esses investidores vai gerar uma movimentação muito grande de renda dentro do Estado”, lembrou.

Entre os principais investimentos realizados no setor em 2012 está a construção de um porto na cidade de Praia Norte, extremo norte do Estado. O projeto é de um grupo alemão que apostou na implantação de um porto às margens do rio Tocantins. O Ecoporto Praia Norte vai diminuir o tempo do translado de produtos da região norte do país até o sul e o sudeste. O local vai contar ainda com um entreposto fiscal para atender a produção da Zona Franca de Manaus o que deve gerar uma redução de custos para as empresas.

O acordo entre os dois estados já foi assinado. Entre as vantagens para o Tocantins, está o lucro com serviços e a movimentação financeira que o porto vai gerar na região. A empresa investidora já tem a licença para implantação e as obras devem começar em breve. A previsão é de que já no primeiro semestre de 2013 seja realizada a navegação piloto desde Manaus/AM à Praia Norte/TO.

Rodovias e ferrovia

Com quase sete mil quilômetros de rodovias pavimentadas, o Tocantins possui a 6ª maior malha asfáltica do País. Isso sem contar a ferrovia Norte Sul que á está em operação em quase todo o trecho que corta o Estado. Só nesse ano, quase um milhão de toneladas de grãos foram transportadas, pela ferrovia, a partir da plataforma de Colinas, Tocantins. Grande parte desses grãos é levada para o Porto de Itaqui, no Maranhão.

Pouco mais de 700 quilômetros, que correspondem ao trecho da FNS entre Palmas e Açailândia/MA, já estão concluídos e em pleno funcionamento. Com relação ao trecho entre Palmas e Anápolis/GO, a previsão é de que os quase 860 quilômetros de ferrovia sejam concluídos em 2013 e facilitem ainda mais o transbordo da produção entre norte e sul do país.

Terminal

O projeto do terminal prevê a construção de um prédio com 500 metros quadrados de área de armazenagem, há ainda a possibilidade de expansão. O investimento é de R$ 3,47 milhões (orçamento total de investimento da Infraero) e as obras devem ser concluídas em outubro de 2013, 300 dias depois da assinatura da ordem de serviço. 

O terminal deve possibilitar o escoamento da produção através de aeronaves cargueiras. Hoje o transporte é feito somente pelas aeronaves comerciais, com reserva de espaço disponível. 

O novo modelo deve facilitar a vida de empresas que têm demandas incompatíveis com o atual sistema adotado. Por enquanto a capacidade de transporte de cargas realizadas no aeroporto é de 240 toneladas por mês, com a implantação do Teca, esse número deve aumentar em 50%. 

Aviões comerciais operam com cargas de quatro ou cinco toneladas, já aeronaves cargueiras podem transportar de uma só vez até dez toneladas. (Ascom SIC)