Campo

Foto: Márcio Vieira

O Estado do Tocantins estima uma safra de 2.549,9 toneladas para 2013, crescimento de 10,6% na produção de grãos como soja, arroz e milho, ultrapassando o registrado no ano de 2012, quando foram produzidas 2.272,8 toneladas. Conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Tocantins é o primeiro da região norte em participação na produção nacional de grãos, leguminosas e oleaginosas; ocupando o 11° lugar no ranking nacional.

Segundo o engenheiro agrônomo da Secretaria de Estado da Agricultura e Pecuária (Seagro), Genebaldo Barbosa Queiroz, juntos à produção de soja, arroz e milho são os responsáveis por 96% do total de grãos produzidos no estado. “A estimativa para produção é de 1,53 milhão de toneladas de soja, 566 mil toneladas arroz e 448 mil toneladas de milho para 2013, correspondendo respectivamente a 58%, 21% e 17% do total dos três grãos produzidos.” Queiroz conta que apesar da estimativa da área a ser colhida em 2013 diminuiu em relação a 2012, porém a produtividade dos três grãos cresceu.

O engenheiro agrônomo da Seagro explica os pontos que favoreceram o crescimento da produção dos três grãos no Tocantins. “O primeiro ponto é que as terras no estado são planas facilitando a mecanização, e de fertilidade razoável para o cultivo de grãos. O segundo é a condição climática, como boa luminosidade e um período de chuva bem definido, suficiente para fazer duas safras ao ano. E o terceiro é que o preço das terras é bom, fazendo com que agricultores de outras regiões venham adquirir terras no estado”, destaca. 

Queiroz esclarece ainda os motivos que causam o crescimento mais acentuado na área do plantio de soja. Segundo ele, o Tocantins tem muitas áreas propicias para o plantio de soja, como as áreas de cerrado nativo e de pastagem degradadas. “Essas áreas são alguns milhares de hectares que estão à disposição para o plantio de soja”, explica o engenheiro afirmando que outros países produtores de soja não têm como expandir suas lavouras, assim como os estado do sul e sudeste brasileiro, que estão com a capacidade limitada para a expansão.

Exportação

Com base em dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), Queiroz comenta que o Tocantins exportou, em 2012, 62% da soja produzida no estado. “Isso é um pouco maior que a media nacional, o Brasil exporta em torno de 47% da soja produzida em todo território nacional”. O engenheiro agrônomo expõe dizendo que o resultado citado é em função do Tocantins não ter usinas de processamento do grão. “O ideal seria que o Estado tivesse indústria de beneficiamento para agregar mais valor ao produto, com isso seria exportado o óleo e a farinha de soja para nutrição animal.”

Queiroz aclara sobre o milho e o arroz não ter sido exportado no ano de 2012. “Há demanda nacional, sendo mais atrativo vender para o mercado interno do que o externo. E o Brasil, tradicionalmente, não é grande exportador de arroz e de milho, muito pelo contrário importa”, conclui. (ATM)