Polí­cia

A Polícia Civil, por intermédio da Delegacia de Ananás, encaminhou ao Poder Judiciário, na última segunda-feira, o relatório final do inquérito que apura a morte de Luciely Silva Campos, fato ocorrido na cidade de Ananás/TO. O corpo da garota foi encontrado no dia 14/07/2013, às margens do rio Araguaia, num local conhecido como Praia da Branca.

De acordo com o Delegado Dr. Rommel Rubens Costa Rabello, responsável pelo caso, as investigações apontaram que no dia 13/07/2013, no início da noite, a vítima foi levada pelo indiciado Janiel Ferreira de Almeida Menezes em direção ao Posto Fiscal do Povoado Antonina e desde então não foi mais vista com vida. Várias testemunhas afirmaram que Luciely estava bastante embriagada, tendo dificuldades em se manter em pé, bem como demonstrou não querer acompanhar o indiciado até o Posto Fiscal, no entanto, mesmo assim foi levada por ele e depois desapareceu, tendo o seu corpo sido encontrado no dia seguinte às margens do Rio Araguaia.

Após ter saído com a vítima, populares viram Janiel próximo ao local onde foi encontrado o corpo, tentando se esconder. Pensando se tratar de alguém querendo furtar às canoas que ali ficam atracadas, as testemunhas perguntaram o que o indiciado estava fazendo naquela situação e o mesmo respondeu que foi urinar. Depois disse que estaria fugindo de alguns homens com quem tinha esbarrado no escuro.

Interrogado em três oportunidades, a princípio Janiel dizia que havia deixado à vítima na carroceria de uma pick-up enquanto retornava ao acampamento da praia para pegar as chaves do Posto Fiscal, não tendo notícias de Luciely depois disso. No terceiro interrogatório, revelou que encontrou a vítima depois de tê-la deixado no veículo, ocasião em que mantiveram relações sexuais. Após o ato sexual, disse ter havido um desentendimento com a garota, ocasião em que lhe segurou pelo pescoço e a mesma caiu ao chão, desacordada.

O indiciado também afirmou que verificou os batimentos cardíacos e a respiração da vítima, mas não encontrou sinais vitais. Janiel não foi capaz de explicar a razão pela qual a adolescente foi encontrada dentro do rio, afirmando tê-la deixado no local em que a mesma caiu ao chão, que seria aproximadamente dois metros de distância do rio.

Janiel Ferreira de Almeida Menezes foi indiciado pelos crimes previstos no art.121, § 2º, incisos III, IV e V e 217-A, § 1º do CPB (homicídio qualificado). As investigações apontam para a possibilidade do crime de homicídio ter sido praticado para ocultar o crime sexual ocorrido anteriormente. Janiel foi indiciado também pelo crime previsto no art. 243 do ECA, por ter dado bebidas alcoólicas a duas adolescentes, uma delas a própria vitima, horas antes da mesma desaparecer.
 
Com a conclusão do Inquérito, o resultado das investigações foi encaminhado ao Judiciário e ao Ministério Público, para as providências cabíveis.