Turismo & Lazer

Foto: Manoel Junior

Regiões agrícolas que apresentam baixos indicadores de desenvolvimento humano e comunidades quilombolas da região do Jalapão receberão investimentos no valor de US$ 10 milhões, por meio do Projeto de Desenvolvimento Regional Integrado Sustentável (PDRIS) para o desenvolvimento rural e turístico, executado através de contrato de empréstimo entre o Governo do Estado e Banco Mundial (Bird).

As atividades serão realizadas pela Secretaria de Estado da Agricultura e Pecuária (Seagro), em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) e a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), por meio da Agência de Desenvolvimento Turístico (Adtur).

As ações serão voltadas para a promoção de negócios rurais e a criação de oportunidades, com objetivo de atrair investimentos sustentáveis nas regiões sudeste, meso-araguaia e no parque estadual do Jalapão. “Esse empréstimo nos deu a oportunidade de olhar com mais cuidado para regiões do Estado que carecem de políticas públicas de fortalecimento da agricultura familiar”, afirmou o coordenador do PDRIS para o desenvolvimento rural da Seagro, Luiz Eduardo Borges Leão.

Atualmente, este componente do PDRIS está na fase de implantação do termo de referência, construído através de estudos, análises e pesquisas pelos órgãos, com o propósito de promover o desenvolvimento de tecnologias agrícolas e implantação de unidades demonstrativas, além de levar conhecimentos técnicos aos pequenos produtores e o apoio à comercialização de produtos de capim dourado e outros artesanatos produzidos no Jalapão.

Durante recente visita ao Tocantins, técnicos do Bird realizaram vistorias nos locais aonde haverá as ações do PDRIS. Em conjunto com a Secretaria de Estado de Planejamento e Modernização da Gestão Pública (Seplan), que está direcionando o plano de ação para o desenvolvimento rural e turístico,  foi apresentada a necessidade de implantação do Mapa de Uso do Solo e Aptidão Agrícola, que servirá de instrumento para realização das atividades do projeto ao longo dos seis anos de execução.

De acordo com a coordenadora da Unidade de Gerenciamento de Projetos (UGP) da Seplan, Andrea Murakami, a Seagro e o Ruraltins trabalharão em conjunto para a promoção de um agronegócio mais eficiente com a inclusão social e de gênero, além da sustentabilidade ambiental e econômica. “A ideia é promover maior produtividade e melhor acesso aos mercados para a produção de subsistência de pequenos e médios produtores”, pontuou.

Com base na vocação regional, o Ruraltins está realizando estudos em regiões de irrigação nas áreas produtoras de grãos, capim dourado e processamento de leite, além da implantação do sistema de inspeção de produtos de origem animal, em 74 municípios com até cinco mil habitantes. “Os recursos do PDRIS visam fomentar nossas ações com a finalidade de potencializar o segmento rural do Tocantins”, explicou o diretor de assistência técnica em planejamento da Ruraltins, Ademieux Rosa Santana. (ATN)