Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado federal e presidente do PMDB no Tocantins, Junior Coimbra afirmou nesta quarta-feira, 2, que não apoia a ida da senadora Katia Abreu para o partido, conforme esperam membros da legenda.“A vinda dela para o partido está sendo uma articulação de uma parte da ala dos meus desafetos e concorrentes internos e do vice-presidente da República, Michel Temer. Não tenho nem conhecimento da vinda dela oficial porque não fui procurado por ela nem pela cúpula do meu partido", disse.

Segundo Coimbra ele não pode estender tapete vermelho para a senadora. “Não houve uma consulta a mim e sem consulta não tenho obrigação nenhuma de dizer que a aceito de bom grado”, frisou.

O deputado afirmou que a relação com a senadora no partido, caso ela confirme mesmo a ida, será como um casal que mora na mesma casa mas dorme em quartos diferentes. “Não tenho perspectiva nenhuma de bom relacionamento com ela e nem tenho obrigação de aceitá-la”, frisou.

Coimbra há 15 dias fez um discurso duro contra a senadora no plenário da Câmara onde a criticou e disse que ela estava por trás de uma armação para tirá-la do partido. “ Vou resistir, vou permanecer no partido não vou correr do partido porque está chegando uma pessoa indesejada”, salientou. Questionado de uma declaração dele que foi publicada ontem na qual ele defendia a união entre PMDB e PSD ele frisou que falou num contexto de possíveis alianças políticas para 2014.

O deputado frisou que manterá seu nome na eleição interna do partido e disse não entender a motivação da senadora para se filiar numa legenda onde a direção estadual, segundo ele, não a aceita.

A perspectiva é que Katia confirme hoje a ida para o PMDB. Ela tem o apoio do deputado federal Osvaldo Reis e também do ex-governador Marcelo Miranda e o convite partiu do vice-presidente da República Michel Temmer.