Palmas

Os recentes ajustes realizados pela Prefeitura Municipal de Palmas na Folha de Pagamento dos servidores tem preocupado a Associação de Servidores da Prefeitura Municipal de Palmas (Assemp). Para a Associação, os servidores estão sofrendo as consequências da falta de planejamento da gestão.

Ações como a suspensão de férias, horas extras e corte de gratificações em funções essenciais, como as realizadas pela Prefeitura de Palmas no último mês,  são incompatíveis  com um bom planejamento, segundo a Associação.  “Somente neste ano, a Prefeitura suspendeu as férias dos servidores duas vezes, esse que é um direito garantido em lei”, frisou o presidente da Associação, Jordeon Gama.

Para a Asemp, um dos fatores que levaram a Prefeitura a  ultrapassar o limite prudencial da folha de pagamento é a remuneração elevada do alto escalão, secretários e secretários executivos, com aumento da remuneração do cargo de secretário, em 2013, de mais de 60%, além da criação de mais secretarias e cargos de secretários executivos,  que  não tiveram, até o momento, nenhuma alteração visando redução de custos. 

“Até o momento,  quem está na ponta é que está sofrendo as consequências com a redução ou retiradas das Funções Gratificadas (FG´s), são servidores concursados, principalmente do quadro técnico administrativo,  que executam funções importantes  para o bom andamento da máquina pública, se continuar assim não é só o servidor que sofrerá, pois a prestação de serviços será impactada e  a população também irá sentir isso”, frisou Gama,  ressaltando que a Prefeitura não abriu canais de diálogo com os servidores, para que fossem discutidas soluções menos impactantes em conjunto.

Gama ressaltou também, que acredita no diálogo com a Prefeitura de Palmas, “esperamos que a Prefeitura abra canais de diálogo com os servidores e suas instituições representativas, para que  sejam apontadas soluções que não prejudiquem os servidores” disse. (Com informações da Assemp)

Por: Redação

Tags: Assemp, Jordeon Gama, Prefeitura de Palmas