Palmas

Foto: Antônio Gonçalves

A Fundação Cultural de Palmas pode relacionar muitos ganhos nesses 300 dias de gestão. Iniciando pela execução, juntamente com parceiros, do Carnaval – Palmas 2013, com um formato diferenciado, contendo atrações em três pontos distintos da cidade, concedendo ao palmense a possibilidade de brincar o Carnaval com a tranquilidade e segurança. Ações como a descentralização das atividades do Centro de Criatividade, o edital Promic, e a Temporada de Férias também foram ações de destaque da FCP.

No quinto mês de gestão, a Fundação Cultural de Palmas já se propôs a atender a demanda da classe artística e apresentou, no dia 08 de maio, no Teatro do Sesc, o edital de cultura municipal, intitulado Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic). O programa foi subdividido em diversas vertentes artísticas, alcançando todos os segmentos. Ao todo, 91 prêmios foram oferecidos pelo Promic, totalizando R$ 1.498.000,00.

Ainda nos primeiros 120 dias, a FCP conseguiu realizar convênio com o Ponto de Cultura Arte-Fato e com o Centro Salesiano Dom Bosco, para descentralizar as ações do Centro de Criatividade. Abrindo a 1300 alunos das regiões Norte e Sul da Capital a chance de ter, através de cursos gratuitos, a iniciação às artes. O número de beneficiados é 53% superior ao formato anterior (no ano de 2012), quando 608 pessoas concluíram os cursos do Centro de Criatividade.

A identificação dos anseios culturais da população palmense tornou possível a realização de outras ações, com a produção ou apoio da FCP. Bons exemplos são a Temporada de Férias – Palmas, Capital da Alegria, que promoveu atividades artísticas nas praias da cidade; o Arraiá da Capital, que esse ano voltou a ser realizado no seu berço histórico, o complexo do Ginásio Ayrton Senna, em Taquaralto, com muito sucesso. Evento que já se garantiu no calendário cultural do estado e da Região Norte, a vigésima primeira edição contou com participação ativa da população de Palmas, mais de 30 mil pessoas, e com a beleza das apresentações dos grupos juninos, uma junção que produziu o que foi considerada a mais bela edição do Arraiá da Capital,

Também na Temporada de Férias, o PMW Rock Festival, que aconteceu na Praia da Graciosa, trouxe à Palmas bandas consagradas no cenário musical nacional, além de oportunizar à bandas nativas mostrar o seu trabalho. O ponto alto do PMW Rock Festival foi o show do rapper carioca, Gabriel O Pensador. O show reuniu aproximadamente 10 mil pessoas.

Para fechar a Temporada de Férias, o Festival Gastronômico fez com que milhares de palmenses subissem a serra de Taquaruçu para degustar dos melhores pratos da culinária do Norte do Brasil. Entre as atrações do evento, a cantora e compositora Maria Gadú fez um show que agradou aos milhares de palmense, e gerou expectativas para o Festival Gastronômico de 2014. 

Conferência 

Em agosto, a FCP realizou a IV Conferência Municipal de Cultura, no auditório do Quartel do Comando Geral da Polícia Militar, que contou com a participação da classe artística da Capital, funcionários da Fundação Cultural de Palmas (FCP), autoridades políticas e população em geral. Na ocasião, cumpriu a proposta de debater, sociedade e o poder público juntos, uma análise crítica e propositiva acerca das políticas culturais. 

Leis de incentivo

A sanção da lei de Incentivo à Cultura, pela Câmara Municipal, ocorrida ainda nos primeiros meses da gestão, foi um dos ganhos no que se refere aos incentivos à produção cultural. Ainda neste período foram apresentados diversos projetos culturais ao Ministério da Cultura.

A lei que reformula o Conselho Municipal de Políticas Culturais foi o ganho seguinte, além de conseguir junto à Foz|Saneatins o repasse de 0,5% do faturamento bruto da concessionária ao Fundo Municipal de Cultura. Repasse esse que era feito antes em cima do faturamento líquido da empresa.

O presidente da FCP, Luiz Teixeira, enfatiza a satisfação com o desempenho da pasta nos primeiros 300 dias de gestão. De acordo com Teixeira “os ganhos foram muitos, principalmente no que tange aos feitos duráveis, como as leis de incentivo, o Conselho Municipal de Cultura, a implementação do Fundo Municipal de Cultura de forma substancial, e a boa relação que a FCP tem hoje com o Ministério da Cultura. Esses são os verdadeiros ganhos. É o que fica da gestão para a cidade de Palmas”, completa o presidente.