Polí­tica

Foto: Divulgação

Em resposta ao questionamento oposicionista de que o município não contava com as nove ambulâncias para atender a população, o vereador Valdemar Júnior (PSD) solicitou da Prefeitura de Palmas que as unidades fossem postas, na manhã desta quinta, 05, em frente ao Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). Para não atrapalhar o atendimento do Samu, os nove veículos ficaram parados no local por pouco tempo e logo após retornaram ao atendimento emergencial requisitado.

O vereador informou que o Ministério da Saúde por meio da Portaria de número 1864 exige cinco ambulâncias no município. “Palmas está superior ao que é estabelecido. São nove ambulâncias, nós temos cinco cadastradas no Ministério da Saúde que é nossa obrigação e quatro a mais” informou, acrescentando que sete estão em funcionamento e duas servem de reserva técnica, caso alguma outra unidade necessite de manutenção.

Na ocasião, o parlamentar explicou ainda que em algum momento, dos nove veículos, alguns estarão em manutenção porque o desgaste é natural devido à alta quilometragem rodada. “Já pensou se tivéssemos apenas cinco atendendo, nós estaríamos ferindo aquilo que o ministério exige, pois teria aquelas em conserto”, destacou.

Sobre o discurso da oposição em relação à quantidade de ambulâncias, Valdemar disse que querem polemizar e criar embaraço para o governo municipal. “Querem politizar um assunto sem enxergar a verdade. A minha função como vereador é trazer a verdade para a população e isso foi mostrado”, finalizou. 

Iratã rebate

No entanto a atitude do líder do prefeito não convenceu o vereador Iratã Abreu (PSD) que continuou com vários questionamentos sobre as ambulâncias. Ele alega que esteve com local, conversou com os servidores e ainda que apenas cinco ambulâncias estariam com equipes ativas em operação. O parlamentar chegou a usar sua rede social para repudiar as informações da prefeitura sobre o quantitativo dos veículos.Meu repudio a esta gestão que insiste em fornecer informações falsas e não reconhece que estão errados. Uma vergonha. Desrespeito ao cidadão!”, afirmou.

Bate-boca

A polêmica sobre as ambulâncias resultou ainda numa discussão entre o prefeito Carlos Amastha (PP) e Iratã através das redes sociais. Após questionar a situação do Samu o vereador insinuou que o gestor não abandonou a vida empresarial mesmo no comando do Executivo. Segundo ele, a cidade está sem prefeito.

“Ainda trabalho..Para não ter que roubar dinheiro publico...Dando o exemplo”, respondeu o prefeito a Iratã que retrucou: “meu Prefeito,apesar de suas palavras ofensivas, não responderei da mesma forma. Apenas tenho cumprido minha função fiscalizatória”, justificou. Amastha pediu em seguida: “Então se abstenha de fazer criticas pessoais. Me respeite. Sempre tenho que reagir a agressões grosseiras”, reagiu.