Estado

Foto: Divulgação

Após 24h de greve e sem proposta da prefeita, Rúbia Rodrigues Amorim, servidores do município de Buriti continuam em greve por tempo indeterminado.

Os servidores reivindicam o cumprimento do acordo que a prefeita encaminhou no dia 7 de outubro de 2013 para a categoria, que aceitou suspendendo a primeira greve realizada por falta de interesse da gestão de negociar com a classe, mas mantendo o estado de greve até que o executivo municipal concretizasse o que foi acordado.

No acordo, a gestora se comprometeu a pagar os salários de dezembro de 2012 parcelados em dez vezes, assim como a nomeação da comissão de gestão e enquadramento do PCCR/Saúde com agendamento da 1ª reunião dos membros da Comissão para o dia 10 de outubro de 2013. E a implantação do PCCR previsto para 1º de janeiro de 2014.

De acordo com o presidente do Sintras, Manoel Pereira de Miranda, essa negociação iniciou em junho de 2013, e os servidores cobram que a prefeita cumpre as cláusulas que diz a lei nº 079, de 7 de novembro de 2012, que trata sobre o plano de carreira dos servidores municipais.

“A lei é para ser cumprida, a prefeita tem que entender que gestão faz com planejamento e os servidores que realizam as tarefas administrativas devem ser valorizados”, ressaltou Miranda.

O diretor do Sintras, Getúlio de Sousa Araújo, diz que os servidores estão firmes na greve. “Eles querem ir até o final, enquanto a prefeita não posicionar sobre o cumprimento do acordo”, disse Araújo.

Somente os serviços de urgência e emergência estão sendo realizados nas unidades de saúde do município. (Sintras)