Estado

Foto: Divulgação

Servidores da saúde deliberaram o retorno da greve no município de Buriti do Tocantins nas primeiras horas desta terça-feira, 25, em virtude da prefeita Rúbia Rodrigues Amorim não cumprir o acordo feito com a categoria, no qual se compromete a pagar os salários atrasados e respeitar a Lei que trata sobre o PCCR.

Durante toda a negociação esta é a segunda vez que os servidores deflagram greve na saúde do município, e agora a gestora está recusando atender a diretoria do Sintras e negando em cumprir o acordo proposto por ela mesma em 7 de outubro do ano passado.

De acordo com o diretor do Sintras, Getúlio de Sousa Araújo, a maioria dos servidores aderiu à greve e estão inconformados com a falta de compromisso que o executivo municipal tem com a categoria.

“A prefeita está pensando que o sindicato e os servidores estão brincando, mas os direitos da categoria devem ser preservados e respeitados. Além do mais, a greve atinge principalmente a população em geral, que fica sem os atendimentos de saúde. Então ela é culpada por não querer melhorar a vida dos servidores e os transtornos que podem causar um movimento grevista”, relata Getúlio.

Acordo

A gestora encaminhou uma proposta ao presidente do Sintras, que transmitiu aos servidores durante assembleia geral em outubro de 2013, propondo pagar os salários de dezembro de 2012 parcelados em dez vezes, assim como a nomeação da comissão de gestão e enquadramento do PCCR/Saúde com agendamento da 1ª reunião dos membros da Comissão para o dia 10 de outubro de 2013. E a implantação do PCCR prevista para 1º de janeiro de 2014.

Servidores

A categoria aceitou a proposta da prefeita e decidiu voltar com os atendimentos normais em 8 de outubro, mas, mantendo o estado de greve até que a prefeita cumprisse o acordo. Mas já se passaram cinco meses e nada aconteceu até agora.

Prazo

No último dia 19, durante assembleia geral, os servidores da saúde tomaram a decisão de aguardar até esta segunda-feira, 24, para a gestora cumprir o acordo que ela mesma propôs e que foi aceito pela categoria. Caso contrário, novamente iriam paralisar os atendimentos dos serviços, ficando somente os de urgência e emergência.

PCCR

Sobre o Plano, o Sintras vem tentando negociar com a prefeita desde junho de 2013, o cumprimento da lei nº 079, de 7 de novembro de 2012, que trata sobre o plano de carreira dos servidores municipais. (Sintras)