Estado

Foto: Divulgação

Em Buriti do Tocantins, moradores e educadores reivindicam melhores condições de trabalho e infraestrutura na cidade. Servidores da saúde estão em greve há mais de uma semana e os da educação deram cinco dias para a prefeita, Rubia Rodrigues Amorim apresentar melhorias caso contrário entrarão também em greve. O Secretário de administração do município, Wendel Silva Miranda, afirmou em entrevista ao Conexão Tocantins que as mobilizações se tratam apenas de jogo político.

Na ultima sexta-feira, 07, houve uma paralisação em frente à Prefeitura Municipal, onde os servidores da educação reivindicaram melhores condições de trabalho, avaliação do desempenho, apresentação de folha analítica dos últimos seis meses, entre outros.

Segundo o secretário de administração, o município tem cumprido com o piso salarial dos professores e que com a carga horária aumentada, beneficia os professores de Buriti. “Aumentamos de 20 para 30 horas, damos 5 horas para planejamento das aulas, dobramos a carga horária em benefício dos professores daqui para não contratarmos de outras cidades, temos mantido toda a questão material, merenda mesmo quando a cortes”, afirmou.

“Ele fizeram paralisação de um dia para chamar a atenção, mas em sentido muito genérico, tiveram um discurso muito provocativo, inclusive chamando a prefeita até de terrorista. Damos todas as condições de trabalho, mas se ainda tem alguma coisa que os deixam descontentes que o Sintet no informe”, afirmou ele que ainda disse ser de cunho político a paralisação que aconteceu: “A paralisação foi feita com pessoas ligadas ao ex-gestor, esteve presentes a maioria dos vereadores de oposição, etc.” disse.

Em relação à infraestrutura da cidade, Wendel disse que devido às chuvas, a maioria das ruas não tem infraestrutura que suportem a queda d’água e não só o município passa pelo mesmo problema. “É fato que algumas ruas estão em péssimas condições, mas não se resume a Buriti, outras cidades estão com ruas em situações iguais. E as ruas não tem infraestrutura que suporte a queda d’água”, afirmou.

Wendel ainda alegou também ao Conexão Tocantins que antes do período chuvoso em solicitação ao Governo do Estado, foi solicitado por meio de projeto, pavimentação de algumas ruas: “O projeto já está me avançado processo, com o mesmo projeto Axixá e Sitio Novo já foram beneficiados, acreditamos que também seremos”, disse.

Paralisação

O vereador de oposição, Itamar Martins (Democratas) afirmou ao Conexão Tocantins na tarde desta terça-feira, 11, que os servidores da educação deram cinco dias úteis para a atual prefeita apresentar melhorias de trabalho, caso contrário entrarão em greve. “Dentre as reivindicações, os servidores pedem melhorias de trabalho, repasse das cópias dos extratos bancários do Fundeb, Plano de cargo e carreiras, avaliação do servidor e atendimento ao projeto votado e assinado em 2012”, afirmou.

Itamar disse que a manifestação realizada na ultima sexta-feira não tinha fins de provocação: “não teve nenhuma provocação, só teve declaração pedindo os direitos dos servidores públicos, por não estarem atendendo o estatuto do servidor público”, disse ele que ainda salientou a falta de diálogo com a prefeita: “Ela não nos atende, não há diálogo”, disse.

Itamar ainda disse que na área da saúde os servidores estão em greve por tempo indeterminado. “Os servidores da saúde estão em greve a mais de oito dias. A paralisação é por tempo indeterminado”, afirmou.

Na infraestrutura Itamar afirmou que as ruas estão mais do que acabadas e que mesmo com o tempo chuvoso poderiam estar revitalizando. “Hoje, por exemplo, passamos um dia de sol e dava para tampar um bocado de buracos”, finalizou.