Turismo & Lazer

Foto: Divulgação

No último sábado, 15, na Câmara de Vereadores de Natividade, foi apresentado um diagnóstico sobre turismo religioso para a Romaria do Bonfim. A senadora Kátia Abreu, presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), do Sistema Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) e da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Tocantins (FAET), ao lado da superintendente do Sebrae Tocantins, Márcia Rodrigues, e Mila Jaber, diretora Técnica do órgão, apresentou o diagnóstico realizado por meio de uma parceria entre o Senar e o Sebrae, e, baseado nele, um programa de planejamento e investimentos estruturais a serem implantados nas próximas edições do festejo para movimentar a economia da região, gerando emprego e renda para a população. O encontro teve a participação do prefeito de Natividade, Albany Nunes, dos moradores da cidade, religiosos, autoridades locais e do reitor do Santuário Diocesano do Bonfim, padre Joatan Bispo de Macedo.

De acordo com Kátia Abreu, “a Romaria do Senhor do Bonfim simboliza a fé inabalável de um povo que acredita na força de Deus e na união dos homens. E os festejos realizados no povoado do Bonfim, representam uma forma dos moradores de Natividade e cidades vizinhas poderem realizar negócios que ajudem manter suas famílias e se transformarem em verdadeiros empreendedores. Este resultado do diagnóstico, bem como o novo projeto para a romaria, tem a missão de fomentar os negócios realizados durante as festividades de forma planejada e organizada, profissionalizando os serviços e consolidando Natividade como um dos principais destinos de turismo religioso da região Norte do País”, destacou Kátia Abreu, acrescentando que será construído o Santuário do Senhor do Bonfim e a Via dos Romeiros através de recursos de emendas parlamentares de R$ 4 milhões, sendo três da senadora e mais um do deputado federal Irajá Abreu. “Tenho certeza que nós vamos construir o mais bonito santuário do Brasil”, garantiu a senadora.

O reitor do Santuário Diocesano do Bonfim, padre Joatan Bispo de Macedo, agradeceu o empenho da diretoria do Sebrae e do Senar pela realização do diagnóstico apresentado, destacando que o relatório será fundamental para aperfeiçoar as atividades realizadas durante os festejos e para o incremento de novos negócios e ampliação dos espaços destinados às manifestações religiosas. Padre Joatan destacou, também, a dedicação da senadora Kátia Abreu para fortalecer a Romaria do Senhor do Bonfim, assegurando que está à sua disposição para ajudar a consolidar este festejo que já faz parte do Calendário Cultural do Estado do Tocantins.

A Superintendente do Sebrae, Márcia Rodrigues, destacou que a pesquisa foi realizada entre os dias 14 de 16 de agosto de 2013, e que retrata, fielmente, o perfil dos fiéis que frequentam os festejos do Bonfim. “Este relatório vai subsidiar as nossas ações durante a romaria deste ano, e esta parceria com o Senar vai fortalecer estas ações, que, sem dúvida, beneficiarão a toda a comunidade de Natividade e municípios vizinhos.”, disse a superintendente.

Diagnóstico

O relatório mostra que a Romaria do Bonfim, que acontece entre os dias 07 e 17 de agosto, recebe anualmente cerca de 60 mil visitantes, majoritariamente de Natividade (46%) e de outros municípios do Tocantins (44%), que vem ao festejo para pagar promessas e agradecer pelos milagres recebidos (74%). A maioria dos romeiros vem acompanhados de suas famílias (60%), se descola em veículo próprio (57%), gasta em média R$ 105 por dia, pernoita na cidade (63%) entre 2 e 4 dias e se hospeda em casa de amigos ou parentes (37%) ou em acampamentos (34%). A principal reclamação do público da romaria está relacionada à infraestrutura da festa, sendo que 50% dos entrevistados consideram os banheiros e a limpeza do evento como ruins.

Foram também entrevistados os representantes da Igreja Católica Padre Joatan Bispo de Macedo, Monsenhor Juarez Gomes da Silva e Dom Romualdo Matias Kujawski que apontaram entre as principais necessidades do festejo a pavimentação e iluminação do acesso aos romeiros, cobertura para a área da missa, mudança no comércio para evitar o congestionamento das vias, implantação de antenas para sinal de telefonia celular e instalações definitivas para a Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e assistência médica.

Comércio

Além dos festejos religiosos, a romaria reúne comerciantes de diversas partes do país que aproveitam a concentração de fiéis para vender roupas, sapatos, artesanatos, artigos religiosos e alimentos. 49% dos comerciantes não residem no Tocantins e 51% dos entrevistados não compra suas mercadorias no Estado, o que gera preocupação quanto à movimentação da economia. 39% deles não possui ocupação formal, 25% são microempreendedores individuais e 16% são microempresários.

Os comerciantes também se queixam quanto à infraestrutura da festa, como as acomodações, limpeza e banheiros, porém, a principal queixa (80%) é quanto às taxas pelo espaço para comércio, que variam de R$ 30,00 a R$ 800,00.