Meio Ambiente

Foto: Fernando Alves

Através de uma plataforma que vai reunir informações como vazão dos rios, quantidade e qualidade de água das bacias hidrográficas, cadastro de usuários, dentre outros dados, a gestão dos recursos hídricos no Tocantins terá um grande avanço. Esse é o objetivo de convênio firmado entre Secretaria do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semades) e Fundação de Apoio Científico e Tecnológico do Tocantins (Fapto).

O projeto visa desenvolver um estudo detalhado sobre a disponibilidade, conformidade e formatos das informações de cada bacia hidrográfica do Estado. Com isso será possível a implementação do Plano Estadual de Gestão de Informações sobre Recursos Hídricos do Tocantins. Ao todo, serão investidos R$ 700 mil do Fundo Estadual de Recursos Hídricos e contrapartida de R$ 75,7 mil da Fapto.

De acordo com o secretário de Meio Ambiente, Alexandre Tadeu, essa é mais uma oportunidade de trazer as contribuições da academia para as ações que o Estado precisa desenvolver. “Com o conhecimento gerado pelas universidades, é possível ganharmos em qualidade e efetividade na implantação das políticas públicas”, frisou.

O presidente da Fapto, Paulo Fernando Martins, destacou a importância de aproximar a universidade das demandas da sociedade. “Através desse projeto podemos propor soluções para problemas sociais, dialogando com Estado e sociedade sobre as questões que envolvem a gestão das águas no Tocantins”, comentou.

Sistema

Segundo o coordenador do projeto, o pesquisador Paulo Adler, todos os dados sobre a gestão de recursos hídricos do Estado já foram inseridos no software Fractal. Através dessa ferramenta, as informações serão gerenciadas e disponibilizadas em um site para acesso aos resultados da pesquisa.

“Nós já estamos com todas as informações no sistema. A próxima etapa será irmos a campo para ouvirmos os órgãos ambientais, conselhos, comitês de bacias hidrográficas e comunidade e colhermos sugestões e demandas desses agentes. Esse passo será importante para refinarmos o sistema e torná-lo de fácil acesso a todos os interessados”, explicou.https://mail.google.com/mail/u/0/images/cleardot.gif(Ascom/Semades)