Polí­cia

Foto: Aldemar Ribeiro

O Conexão Tocantins recebeu a informação nesta última quinta-feira, 7, que alguns soldados recém-formados pela Academia de Policia Militar do Estado estão atuando como efetivos policiais desde o último dia 9 de julho sem respaldo legal, pois, não teria ocorrido ainda a homologação de concurso, nomeação e nem posse dos servidores.

Um dos questionamentos diz respeito à forma como o Estado se comportará se um destes policiais vier a se ferir ou a morrer em atividade. Além deste questionamento um interessado ainda questionou: “os atos praticados por nós tem legalidade? O que eles vão fazer se algum desses soldados cometerem um crime na posição que assumem? Até quando o Estado vai nos manter sem salário, sem plano de saúde, sem auxílios, em uma profissão arriscada?”, indagou.

O site Conexão Tocantins entrou em contato com a Secretaria Estadual de Segurança Pública e foi informado que a responsabilidade para responder tais questionamentos é do Comando Geral da Polícia Militar. A solicitação da resposta aos questionamentos foi então encaminhada para a Assessoria de Imprensa da Polícia Militar que informou o encaminhamento para o Comando, mas até o fechamento desta matéria o Conexão Tocantins não obteve as respostas. O espaço permanece aberto para o posicionamento do Comando.