Polí­tica

Foto: Divulgação

O polêmico deputado José Bonifácio (PR) usou a tribuna na sessão desta terça-feira, 14, para falar das eleições no Bico do papagaio, região que abrange 25 municípios do Estado, onde disse que o “engodo, a mentira e o abuso de poder econômico” imperaram. “Meu partido errou ao nos jogar num chapão suicida na intenção de eleger um deputado federal que não chegou nem perto. Fui dado como derrotado mas fiz uma eleição contra tudo e todos. Fui perseguido na minha região onde compraram votos dos meus amigos”, desabafou. Segundo ele sua campanha foi honesta sem comprar o voto do eleitor.

 Ele disse que um candidato a quem chamou de "príncipe" chegou a oferecer 15 mil para uma presidente de colônia de pescadores e que assessores do colega, Amélio Cayres, tentou tomar os votos dele em Tocantinópolis. Outro nome citado também foi o do deputado eleito Olintho Neto que segundo ele conseguiu “milionariamente” comprar alguns votos dele. “Consegui vencer porque sou mais duro que a rocha”, disse.

 O parlamentar encerrou com uma reflexão: “Sou vitorioso dentro das minhas possibilidades mas não feliz e satisfeito de ter entrado nessa briga onde imperou mais que o desejo do povo o daqueles que tinham o poder de compra e de mando”, frisou.

 Cayres rebate

 O deputado Amélio Cayres (SD) também foi à tribuna agradecer a votação expressiva que teve e pediu que a procuradoria da Casa de Leis encaminhe todos os projetos que estiverem em análise para votação na Comissão de Constituição e Justiça – CCJ. Ele rebateu as acusações de Bonifácio. “Discordo quando o senhor falou dos apoios das lideranças. Eu parto do principio de que ninguém toma ninguém de ninguém apenas ocupa o espaço que estava desocupado que foi o que aconteceu”, disse. O deputado citou que Bonifácio perdeu votos em Tocantinópolis com relação à eleição passada. “Quero continuar ao seu lado defendendo o povo do Bico do papagaio”, disse.

 Bonifácio retrucou em seguida e desafiou o colega. “O Amélio pensa que todo mundo é besta, faço um desafio se o senhor quiser que eu represente no Ministério Público eleitoral pelo menos três pessoas que sua assessora comprou lá em Tocantinópolis eu faço e vamos ver o que vai dar. Não estou de brincadeira o que aconteceu em Tocantinópolis foi bandidagem”, disse.