Polí­cia

Foto: Reprodução/ Facebook

Um dos irmãos da professora Heidy Ayres Leite Moreira que foi encontrada morta há um mês, concedeu entrevista ao Conexão Tocantins na tarde da última terça-feira, 05, e afirmou que a família suspeita que o marido tenha sido o autor do crime e ainda que terceiros também estejam envolvidos. 

“Pelas atitudes desde o início só vem ele na mente. Mas a gente pensa que não foi só uma pessoa que fez aquilo com ela. Teve mais gente. [...] Se realmente foi ele que fez isso, que ele pague por ter destruído uma família”, afirmou. 

Segundo relatos do irmão, Heidy estava casada com Allan por cerca de 10 anos quando o marido decidiu que queria se separar e saiu de casa deixando a esposa e os filhos. Quando a separação aconteceu, os dois moravam em Gurupi e, segundo relatos do irmão, Heidy resolveu vir para Palmas onde tinha familiares. Ambos ficaram separados por cerca de quatro anos e nesse intervalo de tempo, Allan, segundo informações do irmão da vítima, casou-se com uma prima. Passados os quatro anos separados “no mês de março (de 2014) ele largou a prima pra voltar pra minha irmã e ela aceitou porque gostava dele e também por causa das crianças que sempre queria que eles voltassem. [...] Ele mudou pra Palmas e estava morando com ela e os meninos”, relatou o irmão. 

O irmão afirmou ao Conexão Tocantins que Heidy e Allan estavam de casamento marcado para dezembro. Ainda de acordo com o irmão, a relação do casal era aparentemente normal e a irmã não reclamava com os parentes sobre a relação dos dois. 

Crianças 

As duas crianças filhas de Heidy, um de 8 e outro de 10 anos de idade, estão com o pai, assim informou o irmão da vítima ao Conexão Tocantins. O entrevistado disse que Allan, após a morte de Heidy, levou os meninos consigo para Gurupi e ainda que a mãe de Heidy, que reside em Palmas, sempre liga para obter notícias sobre as crianças. “Ele simplesmente pegou os meninos e levou. A mãe dele é muito arrogante. Estamos esperando sair o resultado (dos exames) pra pedir a guarda. [...] Minha mãe além de sentir falta da filha sente falta dos netos também", salientou. 

O irmão de Heidy salientou que Allan não demonstra preocupação. “Ele não se preocupou com nada e quando minha mãe liga, ele nem pergunta como esta a investigação. Desde o inicio”, posicionou. 

Investigação 

O irmão da vítima ainda disse em entrevista ao Conexão Tocantins que a família acompanha todos os passos da investigação e que o delegado responsável pelo caso, João Sérgio Kenupp, já sabe quem é o assassino “mais como ainda não tem prova concreta não pode falar quem é. [...] Tem muitos boatos que ele (o marido) confessou (o crime) pra família dele”, afirmou. 

De acordo com o entrevistado, no município de Gurupi surgiu uma conversa de que o marido de Heidy, Allan, teria contratado advogados para se entregar a justiça "mas até agora nada", frisou.   

“Quem fez isso tem que pagar porque ela era uma pessoa guerreira, trabalhadora e estava muito alegre porque iria assumir uma diretoria em uma escola aqui (em Palmas). Uma escola que inaugurou no setor Bertavile. Fizeram um homenagem pra ela colocando o nome da biblioteca o nome dela Heidy Aires”, completou. 

Matérias relacionadas ao caso