Palmas

Foto: Divulgação

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, CTB no Tocantins, organiza um protesto para esta semana contra o estacionamento rotativo na capital. Segundo o presidente da Central, Antonildo Alexandre afirmou ao Conexão Tocantins nesta segunda-feira, 13, que o motivo é a falta de tempo de carência para a cobrança e ainda a situação dos trabalhadores.

“Nunca vi não ter carência nenhuma além disso os trabalhadores estão pior que os escravos”, disse o presidente que questionou ainda para onde vai o dinheiro que é pago pelos contribuintes no estacionamento. A prefeitura já informou que o valor pago à empresa Infosolo vai ser investido na melhoria da cidade e ainda destinado para um Fundo específico que resultará em melhorias no sistema de mobilidade.

As reclamações sobre as condições dos agentes que atuam no estacionamento são muitas. Um deles afirmou ao Conexão Tocantins que não há banheiro nem sequer um abrigo para eles. A intenção da CTB é ainda formalizar denuncia no Ministério do Trabalho e Emprego. Para conseguir ter acesso a um banheiro os agentes precisam acionar um carro, aguardar, e ir até o escritório da empresa, onde existem sanitários, segundo informou a Infosolo. Os trabalhadores ficam seis horas em pé e a água também é distribuída por um carro de apoio da empresa.

Um empresário que tem comércio na JK aponta o enfraquecimento do setor principalmente por causa da falta de um tempo de tolerância para quem vai fazer serviços rápidos na Avenida. “ Deveria ter tempo de carência de pelo menos 15 minutos, tem gente que em 45 minutos gasta mais de cinco reais dependendo da quantidade de lugares que vai”, disse.

Estacionamento

A empresa Infosolo Informática Ltda é que gerencia o estacionamento rotativo e, segundo argumenta a Prefeitura de Palmas, deverá investir mais de R$ 2 milhões em obras de infraestrutura, construção de câmeras, calçadas dentre outros.  O secretário de Acessibilidade, Mobilidade, Trânsito e Transporte, Christian Zini, argumenta que a operacionalização nas demais áreas será gradativa. As cobranças são divididas em duas zonas: a azul e a verde, que começou a funcionar este mês.