Estado

Foto: Divulgação

O secretário estadual de Comunicação Social do Tocantins, jornalista Rogério Silva revelou que está apostando na profissionalização do setor de informações governamentais, inclusive, começando a dar andamento ao processo de descentralização do setor, com a retomada da implantação definitiva de assessorias de Imprensa nos órgãos, de modo a tornar mais ágil tanto a produção quanto a difusão das notícias de interesse público.

A informação foi repassada a presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Tocantins (Sindjor), jornalista Socorro Loureiro, durante a última reunião periódica de trabalho realizada na tarde de quinta-feira (dia 21/05) entre o titular da Secom e a diretoria da entidade sindical com o fito de discutir pautas conjuntas de interesse do governo estadual e da categoria.

Na ocasião, Rogério Silva, na condição de jornalista, e com quase duas décadas de serviço prestados como profissional no Tocantins, assinou sua ficha de filiação a entidade sindical, explicando que somente não tinha feito antes, porque burocraticamente ainda estava ligado ao sindicato profissional de Goiás.

Entretanto, quer compensar o fato, e faz questão de ajudar na luta dos jornalistas por melhores condições de vida, que passa por salários mais dignos, e que tal tarefa de colaborar com a categoria ficou agora mais fácil, pois faz parte como titular de pasta da Comunicação em um governo democrático, sendo o governador Marcelo Miranda bem sensível com a importância do papel da imprensa, tanto que logo recebeu recomendações para que se agilizasse assuntos relacionados ao setor.

Rogério adiantou que o governador Marcelo Miranda, assim que compatibilizar agenda, deve entregar pessoalmente à presidência do Sindjor, de modo simbólico, a documentação oficial relacionada ao terreno para construção de sede e moradias sociais para jornalistas, estabelecido na Teotônio Segurado, repassado à entidade durante seu primeiro governo em 2006, mas que necessitou de aprimoramento no objeto legal de cessão, para comportar financiamento que ficará a cargo da CEF.

A presidente do Sindjor, Socorro Loureiro, afirmou que a obra própria da sede, pretende preencher lacuna de serviços sociais necessários aos jornalistas. Ela destacou ainda que representa uma categoria de profissionais que vivem e trabalham sob estresse constantes, o que faz muito importante a iniciativa oficial, auxiliando a categoria. Durante o encontro periódico, estava presente o assessor jurídico da entidade, jornalista Márcio Raposo.