Palmas

Foto: Divulgação

O presidente da Câmara de Palmas, Rogério Freitas (PMDB) é mais um dos entrevistas do Especial Palmas, 26 anos, uma série do Conexão Tocantins em razão do aniversário da capital nesta quarta-feira, 20. Freitas fala das mudanças no legislativo palmense, da descentralização das sessões visando ouvir mais os moradores dentre outros aspectos. O presidente comentou ainda a boa relação com a prefeitura de Palmas e avaliou a atual gestão como excelente.

Falando dos desafios da capital nestes 26 anos o vereador elencou o Luzimangues como uma das situações mais preocupantes da capital.
"O Luzimangues é um assunto que me preocupa, daqui a algum tempo teremos milhares de moradores naquela região.Outro desafio é manter a cidade atraente para empresários, investidores e para as pessoas que se mudam pra nossa capital", disse.

Veja a íntegra da entrevista de Freitas ao Conexão Tocantins:

Conexão Tocantins – Como o senhor avalia o trabalho da Câmara nesta gestão?

Rogério Freitas - O trabalho está em ritmo acelerado. Elegemos nossas ações prioritárias e estamos conseguindo solucionar a maioria dos desafios de uma Câmara moderna, ágil, em sintonia com a população. Nossa gestão é muito presente, trabalhamos muito e isso facilita identificar e solucionar rapidamente qualquer problema que possa surgir. A Câmara avançou positivamente em vários aspectos, mas quero destacar a informatização da Casa como uma grande conquista e já estamos trabalhando pela virtualização dos processos administrativos e legislativos! A revisão do Regimento Interno da Câmara e da Lei Orgânica do Município estão em andamento, estamos avançando nesse sentido.  Vale destacar também a “Sessão Itinerante”, que ocorre na última sessão do mês e está percorrendo diversos setores da capital buscando essa sintonia com a sociedade, com o cidadão. Temos também a nossa TV Câmara que estará no ar para todos da nossa cidade nos próximos dias e já estamos trabalhando  junto ao Ministério das Comunicações a nossa Rádio Câmara,  instrumentos que nos aproximam da sociedade e dão transparência ao trabalho do vereador.

CT-  Na sua opinião quais os principais problemas da capital atualmente que afetam diretamente a vida do palmense?

RF- Vejo que a regularização fundiária é um grande problema em nossa cidade, pois impede que as pessoas tenham acesso ao asfalto, a água, ao transporte coletivo, aos financiamentos públicos enfim, acesso a dignidade. Por isso os vereadores de Palmas fizeram dessa situação uma das principais bandeiras dessa gestão. Somos todos comprometidos com a regularização fundiária da cidade, é imprescindível que isso aconteça! Eu diria também que a segurança pública deve ser prioridade! A droga e os bandidos estão agindo por toda parte e em todos os horários; as famílias de bem não tem mais sossego! Esse enfrentamento tem que acontecer porque a sociedade está refém desses marginais. Vamos olhar com muita atenção para essa situação em nossa cidade.Esses são os pontos que eu queria destacar como preocupantes e que precisam ser combatidos; nos demais serviços,  acho que a capital está bem, saúde, educação, transporte, melhorou bastante.

CT- Como o senhor avalia a atual gestão?

RF- Eficiente. Tem atendido a sociedade nos seus anseios e cumprido seu papel. Palmas deu um salto de qualidade na gestão municipal.

CT- Na sua opinião quais os principais desafios para a mais nova capital do país para os próximos anos? Em que áreas?

RF- Eu vejo o Luzimangues como um desafio para nossa cidade, pois são moradores de Porto Nacional que usufruem dos serviços de Palmas. Eles trabalham aqui, usam os bancos daqui, os postinhos de saúde daqui, então essa situação tem que ser estudada com muito carinho por  todos os envolvidos na questão; é urgente buscar uma solução para ampliar a travessia do lago, seja com outra ponte ou duplicando essa que aí está. O Luzimangues é um assunto que me preocupa, daqui a algum tempo teremos milhares de moradores naquela região.Outro desafio é manter a cidade atraente para empresários, investidores e para as pessoas que se mudam pra nossa capital. Manter a cidade limpa, segura, bonita, organizada, com qualidade de vida. Esse é um desafio constante,  para o qual devemos estar sempre atentos. E a Câmara tem cumprido o seu papel de fiscalizar as obras, acompanhar os projetos, debater as idéias, assim nós vereadores colaboramos com o progresso e o desenvolvimento da cidade.

CT- Sobre os investimentos nas mais diversas áreas da capital como o senhor avalia este aspecto atualmente na capital?

RF- Temos os Jogos Indígenas Mundiais, o BRT está chegando, a saúde está funcionando, a educação está cumprindo seu papel, o transporte coletivo funciona bem, a taxa de desemprego é pequena, a segurança pública é boa, a prefeitura está entregando várias obras pela cidade, a auto-estima do palmense está em alta, então vejo que é uma gestão que tem funcionado bem, que está acertando. Temos que manter esse ritmo de trabalho, ampliando os horizontes, sempre trazendo melhorias para a cidade!

6 – O senhor acha que o fato do prefeito ter ampla maioria do apoio dos vereadores alguns questionamentos deixam de ser feitos com relação a alguns problemas da capital?

RF- Se o prefeito tem essa maioria foi porque ele conquistou essa situação com diálogo e trabalho, de forma democrática. Mas a Câmara nunca se furtou das discussões dos problemas da capital e eles existem. É nosso papel ajudar o executivo a identificar o problema, discutir a solução e apontar o caminho a ser seguido, é assim que a Câmara age. As discussões acontecem democraticamente e todos são respeitados, aqui o contraditório sempre foi respeitado e devemos isso ao amadurecimento da Câmara Municipal.

CT-  O senhor tem pretensão ou vontade de disputar a prefeitura da capital?

RF- Sou vereador, vou concluir meu mandato e se a população entender que eu posso continuar colaborando com a cidade vou disputar novamente o mandato de vereador, com muita honra e muito orgulho em poder representar o povo da nossa cidade. Essa é a minha intenção.

O Especial Palmas 26 anos traz entrevistas com políticos, ex-prefeitos e líderes sociais da capital