Empregos e Serviços

Foto: José Franco

Os 361 candidatos inscritos para função de agentes de desenvolvimento local e economia solidária do Projeto Ecosol Territorial, desenvolvido pela Secretaria Estadual do Trabalho e Assistência Social,  terão seus currículos analisados no dia 08 de julho por um grupo de cinco avaliadores. A banca que examinará os concorrentes é composta por servidores da Setas habilitados em seleção e recursos humanos e componentes do Grupo Gestor do Projeto. A data e o comitê avaliador foram definidos durante reunião na manhã desta terça-feira, 30 na sede da pasta.

Segundo a diretora de Inclusão Produtiva da Setas, Mara Noleto Dorta, os melhores colocados com base nos critérios exigidos pelo edital passarão por uma entrevista individual.  “A data e horário das entrevistas serão publicados no Diário Oficial e todas devem ser realizadas na sede da Setas em Palmas, o que implicará no deslocamento dos candidatos até a capital” Destaca a diretora.

Ao todo serão selecionados 17 candidatos nas regiões do Bico do papagaio, Jalapão e sudeste do Estado sendo as cidades contempladas: Araguatins, Augustinópolis, Axixá do Tocantins, Carrasco Bonito, São Miguel do Tocantins, Esperantina, Sampaio, Lagoa do Tocantins, Mateiros, Rio Sono, Santa Teresa do Tocantins, Ponte Alta do Tocantins, Rio da Conceição, Porto Alegre do Tocantins, Paranã, Taipas do Tocantins e Dianópolis. O contrato será de um ano, prorrogável por mais um, e a carga horária é de 40 horas semanais. O valor pago será de R$ 830, 21 para cada agente.

Entre as atribuições dos agentes lista-se o levantamento das potencialidades econômicas locais, fomento de novos empreendimentos solidários e assessoramento aos já existentes, articulação dos gestores públicos em torno do tema e principalmente estimular a construção e o fortalecimento de espaços coletivos que debatam e definam as necessidades das comunidades.

O professor da Universidade Federal do Tocantins (UFT), Edi Augusto Benini, é membro do Núcleo de Economia Solidária da Universidade e por isso participa do Comitê Gestor do Ecosol Territorial. Para ele, o Projeto representa uma importante contribuição para o crescimento do Estado como uma nova forma de economia mais sustentável e que potencializa os recursos já presentes na região. O professor avaliou o processo seletivo como democrático e objetivo: “As pessoas que já estavam envolvidas com a Economia Solidária no Estado foram convidadas para participarem da seleção dos agentes o que além de valorizá-las trará mais consistência ao processo”. Explica Edi Benini.

Para o representante da Comunidade Quilombola Lajinha, Nelsair Ferreira dos Santos, a seleção precisará levar em conta a necessidade de cada região e explica: “O sudeste do Estado tem uma forte vocação agrícola, o agente que for selecionada para lá precisa ter experiência com agricultura familiar e conhecer nossa realidade”.

O agricultor Nelsair Ferreira também é membro do Comitê Gestor do Ecosol Territorial e acredita que o projeto será um enorme passo para sua comunidade: “Nossa grande preocupação tem sido com a juventude, que não vê mais oportunidades no campo, queremos reverter esse quadro”. Pontua Nelsair.

Sobre o Projeto

O Projeto Ecosol Territorial está sendo desenvolvido por meio de um convênio entre a Secretaria de Estado do Trabalho e Assistência Social (Setas) e o Ministério do Trabalho e  Emprego, por meio da Secretaria Nacional de Economia Solidária.

O objetivo do Projeto é fortalecer as organizações de Economia Solidária nos territórios do Bico do Papagaio, Jalapão e região Sudeste do Tocantins no intuito de promover o desenvolvimento social e a erradicação da pobreza no Estado. Serão empregados recursos no valor total de R$ 2.367.644,00, sendo R$ 521 mil para a contratação dos agentes de economia solidária.