Estado

Foto: Divulgação

 O presidente da Associação dos Policiais Civis do Estado do Tocantins  (Aspol/TO), Paulinho Sousa Lima, externou o descontentamento de toda classe com as declarações do Governo do Estado sobre o andamento do concurso da Defesa Social.

“O Estado está demonstrando total descaso com a segurança pública e com a população do Tocantins”, comentou Paulinho sobre a notícia de que o governo só irá iniciar o curso de formação dos aprovados no certame somente em 2016. Paulinho destaca que o concurso da Defesa Social irá levar mais agentes às unidades prisionais e garantirá o retorno dos policiais que foram cedidos à Defesa Social pela Secretaria de Segurança Pública. “Com o retorno dos servidores teremos um reforço significativo no serviço de investigação e prevenção de crimes”, disse. 

De acordo com o representante classista, a Secretaria de Defesa e Proteção Social informou durante todo o ano de 2015 que o curso de formação seria realizado em agosto. “Foi um ato unilateral e desrespeitoso não só com os aprovados no concurso, mas também com as entidades classistas e, principalmente, com a sociedade tocantinense que continua desprotegida", afirmou. 

A necessidade de mais agentes de segurança fica clara na análise do presidente da Aspol. “As unidades prisionais estão tomadas por facções criminosas nacionais e o próprio governador já reconheceu isso. Esta atitude impensada não contribui e só fragiliza o sistema de segurança pública estadual”, declarou Paulinho.

Ainda de acordo com Paulinho Sousa Lima, existe previsão orçamentária para este concurso e por imbróglios sobre a realização do curso de formação todo o sistema perde com a falta de servidores. (Ascom Aspol)

Por: Redação

Tags: Aspol, Defesa Social, Paulinho Sousa Lima