Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado estadual do PSB, Ricardo Ayres foi à tribuna da Assembleia Legislativa do Tocantins tentar defender a gestão municipal de Palmas do correligionário, prefeito Carlos Amastha na manhã desta quarta-feira, 5. “Chegamos até aqui pelo trabalho desenvolvido pelo prefeito Laurez Moreira que agora terá seguimento pelo prefeito Carlos Amastha”, disse. Ayres falou em trabalhar com foco nas gestões municipais.

Segundo o deputado, Amastha assumiu o partido porque foi convidado pela nacional da legenda. “Não existe nenhum racha, nenhuma divisão”, negou. No entanto o grupo do deputado federal Vicentinho Alves não concordou com a mudança e quer inclusive deixar a legenda. Por outro lado, Laurez Moreira já disse também que vai cuidar apenas de sua gestão municipal.

Ainda segundo Ayres, o partido terá candidaturas fortes e competitivas tanto para as prefeituras como em 2018. Para que em 2018 o partido tenha o protagonismo que o Estado precisa”, disse sem dar mais detalhes, porém nos bastidores já circula informação de que o prefeito Amastha tem pretensões ao Senado na próxima eleição estadual.

Sobre a restrição da circulação das vans na capital, que foi criticada por vários deputados estaduais na sessão de hoje, o deputado disse que se reuniu com os representantes do segmento e que vai encaminhar à Prefeitura de Palmas uma sugestão de alteração. “Estamos falando de dois serviços distintos uma coisa é o transporte intermunicipal e outra coisa o transporte local que tem como responsabilidade e fiscalização a prefeitura da capital”, pontuou.

Ayres tentou rebater as acusações do opositor ferrenho da Prefeitura de Palmas, deputado  Wanderlei Barbosa (SD) com relação à gestão. “Os resultados são extremamente positivos”, disse. Ele falou da implantação da meritocracia no âmbito municipal e disse que mais de 1500 servidores da Educação vão progredir de carreira. “Precisamos enxergar o outro lado de todas essas questões”, disse.

Segundo ele o prefeito Amastha tem ampla aprovação popular e vem implantando um jeito novo de fazer gestão pública.