Cultura

Foto: Adilvan Nogueira

O escritor, jornalista e membro da Academia Tocantinense de Letras, José Cardeal dos Santos, lançará no 9º Salão do Livro, no dia 24 de setembro, às 17 horas, no Café Literário, o seu primeiro livro denominado “Dever, Cidadania e Dignidade”, uma leitura pelo universo dos valores humanos.

“O livro é uma tentativa de despertar nos jovens, no cidadão, atenção e interesse para a importância e necessidade de priorizar os valores humanos, sociais, políticos, ético-morais e espirituais. E é com base na observância dos valores que acontece a formação do caráter sólido”, frisou José Cardeal.

Escrever foi a forma que Cardeal encontrou para expressar pensamentos e sentimentos. Têm mais cinco livros prontos, todos no estilo filosófico. “Meu desejo permanente é lutar em defesa da observância dos valores fundamentais da vida humana”, contou.

O livro retrata temas como trabalho, educação, dever, família, coragem, coerência, liberdade, vaidade, perdão, cidadania, convivência, entre outros temas. “Não nos esqueçamos, pois, de que sem o estrito e necessário cumprimento do dever nenhum ser humano poderá realizar-se e ser feliz”, ressaltou Cardeal.

Trajetória

O escritor nasceu em Alto Parnaíba, no Maranhão. Com um ano de idade sua família veio morar no interior do Tocantins, em Novo Acordo, que na época era um povoado pertencente ao município de Porto Nacional.

Como todo jovem sonhador, aos 17 anos, José Cardeal, deixou a família e foi para a capital Goiânia lutar por uma vida melhor. Mas esta não foi uma viagem fácil, caminhou a pé até Gurupi e, de lá, na carroceria de um caminhão, continuou o restante da viagem. Foi morar com primos, numa república, e começou a trabalhar num bar como atendente.

José Cardeal tinha aprendido grandes lições de vida com o pai Boaventura Cardeal dos Santos, que era um autodidata e tinha presteza pelo conhecimento. Com isso, José Cardeal foi estudar e fez o seu ginásio no Liceu de Goiânia. Mas, inquieto e sendo um grande lutador pelas causas sociais, passou a fazer parte dos movimentos secundaristas, sendo orador e vice-presidente do grêmio. Assim, foi ficando cada vez mais conhecido e despertou o interesse dos militares, na época do militarismo. Com isso, José Cardeal teve que se refugiar no Instituto de Educação, em uma instituição de ensino na qual só estudava mulheres.

O escritor é graduado em Direito, fez história na luta pela criação do Estado do Tocantins e é um dos membros do Cenog (Casa do Estudante Norte Goiano). Foi também vereador em Gurupi.

Ele esteve presente nos principais momentos históricos do Tocantins, na  instalação do Estado e da Capital, em 1989. Também morou na capital provisória Miracema. Trabalhou na função de assessor jurídico no Legislativo, no Executivo e no Judiciário. Foi co-fundador do Instituto do Advogado, do Sindicato dos Advogados e do Conselho Tocantinense da Ordem dos Advogados do Brasil.

Atualmente, José Cardeal aproveita o tempo para escrever, curtir a natureza e conversar com os amigos.