Palmas

O município de Palmas através do procurador-geral, Publio Borges Alves, mudou de ideia e protocolou no final da tarde desta quarta-feira, 14, uma retificação, retirando o pedido de prisão do presidente regional do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sintet), Joelson Pereira. 

A Prefeitura de Palmas mantém o pedido de multa diária no valor de R$ 100 mil. Na reconsideração, o município alega "dar fé do excepcional trabalho dos educadores municipais". 

O presidente regional do Sintet, Joelson Pereira, afirmou em entrevista ao Conexão Tocantins que o pedido de prisão foi surreal. "Um absurdo!", chegou a dizer. 

Nesta quinta-feira representantes do sindicato reúnem-se com uma comissão formada por secretários municipais e o presidente da Câmara de Palmas, Rogério Freitas.