Estado

Foto: Divulgação

Diante do crescente sentimento de desânimo e insatisfação que assola os militares tocantinenses em consequência do não pagamento de benefícios legais, a Associação dos Praças Militares do Estado do Tocantins (APRA-TO), solicita ao comando geral e ao Governo do Estado que se cumpra a lei e que sejam regularizados os pagamentos da data-base (4.68%), auxílio alimentação e horas extras da categoria.

As reivindicações protocoladas em ofício foram encaminhadas ao governador do Estado,Marcelo Miranda, ao secretário da Administração, Geferson Oliveira, e aos comandos da Polícia Militar e Bombeiros Militares, No documento, a Associação solicita que seja realizado o pagamento da data-base, conforme lei nº 2984/15 que prevê o reajuste de 4.68%; o pagamento do auxílio alimentação, regulado pela lei n 2319/10; e, de acordo com a lei 2.689, a qual regulamenta o pagamento de horas extras trabalhadas pelos militares, solicita ainda que sejam quitadas as horas extras atrasadas relativas à temporada de praias 2015 e destinadas diárias e horas extras aos policiais e bombeiros militares que prestarão serviço nos Jogos Mundiais Indígenas.

A APRA solicita também aos comandos da PM e BM que sejam verificadas as condições físicas a que estarão expostos os militares em serviço nos Jogos Indígenas, preservando pela dignidade humana dos profissionais.

A Associação enfatiza que o não cumprimento com o pagamento dos benefícios acima citados tem sido causa de desmotivação e consequente baixa produtividade na tropa. "Considerando o atual momento de dificuldade, a diretoria da APRA informa que está analisando a possibilidade de disponibilizar atendimento psicológico aos militares associados diretamente na sede da entidade", informou a Associação. 

Confira os oficios na íntegra:

Ofício 17/15

Ofício 18/15

Ofício 19/15

Ofício 20/15