Polí­cia

A Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil / Seccional Tocantins lamentou o confronto policial ocorrido na cidade de Pindorama-TO, que resultou na morte do sargento da Polícia Militar Wiratan Fraga dos Santos. O policial morreu durante troca de tiros com a Polícia Federal na última segunda-feira, 2.  

A OAB prestou condolências aos familiares, amigos e companheiros e colocou a instituição OAB/TO a disposição de todos. 

A Comissão de Direitos Humanos da OAB/TO destacou sua disponibilidade no acompanhamento das investigações para elucidação dos fatos e informou esperar das instituições a pronta apuração do ocorrido. 

Entenda 

A morte do sargento da PM, Wiratan Fraga dos Santos na última segunda-feira, 2, por volta de 01h50min, na cidade de Pindorama, a 215 km da capital, gerou polêmica em razão das circunstâncias da ocorrência que ainda não foi esclarecida. Ele morreu durante um tiroteio entre as polícias militar e federal. O militar foi alvejado durante a troca de tiros e socorrido, mas não resistiu e veio a óbito. 

Na versão da PM, os policiais militares estavam devidamente escalados e fardados para executar o serviço de policiamento ostensivo na cidade de Pindorama, quando houve denúncia de que indivíduos suspeitos estavam no interior da agência dos Correios do município.

Ainda na versão da PM, os militares deslocaram ao local da denúncia para averiguar a situação mas os suspeitos já haviam evadido. Logo em seguida, os militares teriam sido surpreendidos pela Polícia Federal em um veiculo do tipo van sem qualquer caracterização e os policiais federais passaram a atirar na direção dos militares que estavam abrigados, os quais revidaram.

Conforme alega a PM, os policiais civis do Gote chegaram ao local e a partir deste momento foi possível identificar que se tratavam de policiais. Até então, devido a falta de caracterização e identificação, os militares dizem que não sabiam que se tratavam de policiais federais.

Por: Redação

Tags: OAB, Pindorama, Wiratan Fraga dos Santos