Meio Ambiente

Foto: Divulgação As queimadas do Tocantins serão avaliadas durante o Seminário As queimadas do Tocantins serão avaliadas durante o Seminário

O Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), através do Governo do Estado, promoverá nos próximos dias 22 e 23, o Seminário Regional sobre o Manejo Integrado e Adaptativo do Fogo (MIF). O evento será no Centro de Monitoramento Ambiental e Manejo do Fogo, localizado na Universidade Federal do Tocantins (UFT), em Gurupi.

Durante o Seminário os participantes irão destacar as iniciativas implementadas no Brasil para reduzir as ameaças ao cerrado, vegetação predominante no Tocantins, que corresponde ao Projeto de Prevenção, Controle e Monitoramento de Queimadas Irregulares e Incêndios Florestais no cerrado, mais conhecido como Projeto Cerrado-Jalapão.

No Tocantins o Projeto realiza atividades em municípios prioritários vinculados às Unidades de Conservação (UCs). São eles Dueré, Formoso do Araguaia, Lagoa da Confusão, Mateiros, Novo Acordo, Pium, Ponte Alta do Tocantins e na área indígena do Parque do Araguaia.

As participações internacionais serão realizadas por meio de palestrantes como Guido Van Der Werf, da Universidade Vrije de Amsterdã, que abordará as Emissões de GEE no Brasil, padrões e alternativas de mitigação baseadas no Global Fire Emissions Database (GFED). Já Robin Beatty, representante da 321 Fire, de Moçambique, destacará os Principais aprendizados após três anos de planejamento e implantação do MIF no Tocantins. Kim Christensen, do Serviço Florestal Americano, falará sobre a Perspectiva do Serviço Florestal Americano na cooperação entre agências.

O Seminário tem como finalidade avaliar a execução do Projeto que está com atividades no Estado desde 2012, que tem como fatores primordiais a  promoção, prevenção e o controle efetivo de queimadas e incêndios, o aprimoramento da gestão de Unidades de Conservação (UCs) e a elaboração de instrumentos para o monitoramento de desmatamentos e queimadas no cerrado.

Dentre os objetivos do Projeto de cooperação entre Brasil e Alemanha está o  aprimoramento do Manejo Integrado e Adaptativo (MIF) do fogo no cerrado, contribuindo assim  para a conservação da biodiversidade e para a manutenção do bioma como um sumidouro de carbono de relevância global.

Parceiros

São parceiros de Projeto a Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ),  KfW - Development Bank, que apoia o Ministério do Meio Ambiente do Brasil por ordem do Ministério Federal do Meio Ambiente, Proteção da Natureza, Construção e Segurança Nuclear da Alemanha (BMUB), no âmbito de sua iniciativa internacional de proteção do clima (IKI) no alcance desse objetivo.

As atividades foram desenvolvidas com base no Plano Nacional de Adaptação à Mudança Climática e no Plano de Ação de Prevenção e Controle do Desmatamento e das Queimadas no Cerrado. O Projeto conta com a parceria da Caixa, como agente financeiro, bem como de instituições brasileiras de proteção à natureza e ao meio ambiente, como ICMBio, Ibama, Inpe, Semarh, Ruraltins e Naturatins.