Estado

Foto: Divulgação

O deputado estadual Eduardo Siqueira Campos (DEM) foi diagnosticado com diverticulite aguda e precisará passar por cirurgia, marcada para a próxima sexta-feira, 3 de fevereiro. Em virtude da cirurgia, o deputado protocolou um pedido de licença de 121 dias de seu mandato parlamentar.

O diagnóstico veio após a realização de três tomografias em 60 dias, utilização por 30 dias seguidos de antibióticos e anti-inflamatórios e também por seguidas avaliações médicas.

De acordo com informações repassadas ao Conexão Tocantins na manhã desta terça-feira, 31, pela assessoria de imprensa do parlamentar, Eduardo ficou internado por quatro a cinco dias no começo de dezembro de 2016, já sabendo da diverticulite, porém, sem saber que era aguda e que precisava de cirurgia. A recomendação médica na época foi o tratamento com medicamentos e segundo a assessoria, nada a respeito foi divulgado pois o deputado achava que não era grave. 

Ainda de acordo com a assessoria de Eduardo, a cirurgia é necessária pois há possibilidade de supura - formar, acumular ou expelir pus - do divertículo. "Uma possível supura do divertículo poderia ser gravíssimo ou letal a qualquer paciente. Neste momento, intervenção cirúrgica lhe foi indicada pelos médicos. É um procedimento delicado, mas o deputado Eduardo Siqueira e toda a sua família encontram-se confiantes no sucesso da cirurgia e no seu breve e pleno restabelecimento às atividades familiares e profissionais". 

Paralisia Facial 

A diverticulite aguda é o segundo problema de saúde que Eduardo Siqueira Campos enfrenta nos últimos meses. Em outubro do ano passado o deputado precisou ser internado para tratar de uma paralisia facial. Uma ressonância constatou uma inflamação do lado esquerdo da face do deputado. Na manhã desta terça-feira, 31, a assessoria do deputado informou que Eduardo Siqueira ainda toma medicamento para tratar da paralisia, mas que houve evolução, com normalidade da paralisia. 

Diverticulite 

Diverticulite é uma inflamação caracterizada principalmente por bolsas e quistos pequenos e salientes da parede interna do intestino (divertículos) que ficam inflamados ou infectados. Os sintomas são dor abdominal, geralmente na parte inferior do lado esquerdo, que pode durar vários dias e que pode ser confundida com apendicite; náuseas; vômitos; febre, normalmente inferior a 39ºC; falta de apetite; aumento da sensibilidade no abdômen, principalmente no lado esquerdo e prisão de ventre ou diarreia.