Polí­tica

Foto: Divulgação Sindicalistas entregam documento ao deputado federal tocantinense Lázaro Botelho Sindicalistas entregam documento ao deputado federal tocantinense Lázaro Botelho

Em uma carta direcionada aos 11 representantes do Tocantins no Congresso Nacional – três senadores e oito deputados federais -  20 entidades representativas de servidores públicos e trabalhadores de diferentes setores pediram aos parlamentares que se posicionem contrários à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 287, que prevê a Reforma da Previdência. No documento, defendem que trata-se de uma proposta “perversa, desumana e, sobretudo, injusta aos trabalhadores, aos servidores  públicos e à sociedade em geral”.

Para as entidades, os termos propostos para a reforma, se aprovados, vão ampliar o quadro da desigualdade social no Brasil. “Vivemos em um país de imensas desigualdades sociais. A proposta que tramita no Congresso Nacional tem tudo para ampliar ainda mais essas desigualdades. Não há condições da grande massa de trabalhadores ter que contribuir por 49 anos e, só assim,  poder receber a tão merecida e justa aposentadoria integral. Na prática, muitos e muitos morrerão antes de concretizarem esse direito constitucional conquistado ao longo dos anos. A mudança atinge frontal e principalmente os mais humildes, os que não têm voz e vez e que, na verdade são a base da sociedade”, argumentam, no intuito de sensibilizar os deputados e senadores.

Liderados pela Federação dos Sindicatos de Servidores Públicos do Tocantins (Fesserto) e pela Força Sindical do Tocantins, representantes das entidades de classe estiveram em Brasília (DF) na terça, 28, e quarta-feira, 29, no que chamaram de “verdadeira peregrinação”. Visitaram cada um dos 11 gabinetes e entregaram o documento. Na ocasião, os sindicalistas foram recebidos pelos deputados federais César Halum (PRB), Professora Dorinha (DEM), Carlos Gaguim (PMDB), Lázaro Botelho (PP) e Vicentinho Júnior (PR); bem como pela senadora Kátia Abreu (PMDB). Segundo divulgado pela assessoria de imprensa da Fesserto, estes  parlamentares garantiram apoio ao pleito das entidades.

Nos demais gabinetes dos deputados Josi Nunes (PMDB), Dulce Miranda (PMDB) e Irajá Abreu (PSD); e dos senadores Ataídes de Oliveira (PROS) e Vicentinho Alves (PR), os sindicalistas foram atendidos por assessores, que receberam a carta.

“O importante é que os congressistas tocantinenses garantiram apoio e foram claros ao dizer que, do jeito que a proposta está, ela não terá o voto deles. Nós contamos com eles para enterrar essa PEC”, disse o diretor-tesoureiro da Fesserto, José Ronaldo dos Santos.

Ainda por meio da assessoria de imprensa, a Fesserto e as demais entidades que assinam o documento enfatizaram que “em 2018, o congressista tocantinense que votar a favor da PEC terá vida dura na eleição, pois os sindicatos farão uma ampla campanha de conscientização contra esses deputados e senadores para evitar que eles se reelejam”.

 Confira a íntegra da carta e as entidades que a assinam:

 “Ao cumprimentá-lo cordialmente, as entidades que subscrevem este documento, vêm pedir a Vossa Excelência que se posicione tanto publicamente, quanto em Plenário, contra a PEC 287 (Proposta de Emenda à Constituição), que prevê uma reforma completa no sistema Previdenciário do País.

Essas entidades entendem que a proposta é perversa, desumana e, sobretudo, injusta aos trabalhadores, ao servidores  públicos e à sociedade em geral, ou seja, justamente com aqueles que, legitimamente através do sufrágio eleitoral, lhe outorgou o mandato parlamentar.

Vivemos em um país de imensas desigualdades sociais. A proposta que tramita no Congresso Nacional tem tudo para ampliar ainda mais essas desigualdades. Não há condições da grande massa de trabalhadores ter que contribuir por 49 anos e só assim,  poder receber a tão merecida e justa aposentadoria integral. Na prática, muitos e muitos morrerão antes de concretizarem esse direito constitucional conquistado ao longo dos anos. A mudança atinge frontal e principalmente os mais humildes, os que não têm voz e vez e que, na verdade são a base da sociedade.

Essas entidades, que representam, servidores públicos e trabalhadores de diversas categorias do setor privado, lutarão com  todas as suas forças contra a PEC 287 e reforça o pedido de apoio  do senhor.

Atenciosamente,

FESSERTO – Federação dos Sindicatos dos Servidores Públicos do Estado do Tocantins

SINDIFISCAL - Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual

SINDLEGIS - Sindicato dos Servidores Ativos e Inativos da Assembleia Legislativa do Tocantins

SINDJOR - Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Tocantins

SINPOL - Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Tocantins

AFA-TO - Associação dos Funcionários da Agencia de Defesa Agropecuária de Estado do TO

SINDAGRO - Sindicato dos Profissionais da Defesa Agropecuária

AOMETO - Associação dos Oficiais Militares do Estado do Tocantins

SISEPAR – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Araguaína

SINFITO- Sindicato dos Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais do Estado do Tocantins

SINTRAESCO – Sindicato dos Contadores do Estado do Tocantins

SITROMET – Sindicato dos Motoristas em Transportes e Passageiros do Tocantins

SINTRAPOSTO – Sindicato dos Emp. Postos Serv. Comb. Der. Pet. do Tocantins

SINDACE – Sindicato dos Auditores de Controle Externo do Trib. de Contas do Tocantins

STICCIP – Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil no Tocantins

SIGMEP – Sindicato da Guarda Metropolitana em Palmas – TO

ASMIR - Associação dos Militares da Reserva, Reformados, da Ativa e seus Pensionistas do TO

ASSPMETO - Associação dos Sargentos e Subtenentes da Polícia Militar do Tocantins

APRA - Associação dos Praças Militares do Estado do Tocantins

STICPAET – Sind. dos Trabalhadores nas Indústrias Da Construção Pesada e Afins do Tocantins"