Estado

Foto: Divulgação

As Unidades de Saúde da Família (USF) 305 Norte, 1104 Sul e Setor Sul já estão funcionando com um novo tipo de atendimento: o de Acolhimento com Classificação de Risco. O novo modelo, que faz parte da Política Nacional de Humanização da Saúde, está sendo implantado pela equipe de profissionais da Atenção Básica da Secretaria da Saúde de Palmas (Semus) e, e em breve, será a modalidade de atendimento em todas as unidades de saúde da Capital.

Agilidade e Humanização

De acordo com Samuel Bonilha, Secretário da Saúde de Palmas, a classificação determina a prioridade e dá agilidade ao atendimento: “O acolhimento com classificação de risco é um processo dinâmico que possibilita a identificação dos usuários que necessitam de cuidados imediatos, de acordo com o potencial de risco, agravos à saúde e grau de sofrimento” - explica o secretário.

Equipes Pilotos

Segundo Alessandro Pantoja, Gerente de Atenção Básica da Semus, as equipes multiprofissionais, com médicos, enfermeiros, odontólogos, assistentes sociais, auxiliares, agentes comunitários de saúde e pessoal administrativo precisam conhecer todos os critérios de avaliação de um paciente prioritário. Participam também da implantação, os residentes multiprofissionais da Saúde da Família e Comunidade.

“A classificação de risco oferece subsídios para a rorganização dos serviços de saúde, diminui o tempo de espera e torna a prestação de serviço mais resoluta, daí a necessidade de um treinamento integral das equipes da Estratégia de Saúde da Família” - justifica Pantoja.

Cores Classificatórias

De acoordo com Adriana Victor Lopes, diretora de Atenção a Saúde, à exemplo da classificação de risco, que funciona nas Unidades de Pronto Atendimento, as USF também obedecerão a um protocolo classificatório definido pelas cores: vermelha (atendimento imediato); amarela (atendimento até o dia seguinte); verde (atendimento na semana) e azul (com agendamento na rotina da USF).

“Esses são critérios de ordem, estabelecidos pelo Programa Nacional de Humanização do SUS. É claro que, na medida em que os prioritários forem atendidos, todos os outros serão chamados na sequência, dentro do período de funcionamento das USF: das 7 às 18 horas” - esclarece Adriana Victor. (Ascom/Semus)