Estado

Foto: Divulgação

O Sindicato dos Trabalhadores em Vigilância do Estado continua em estado de greve desde ontem o que está impedindo principalmente o funcionamento das agências bancárias em Palmas, Gurupi e Araguaina.

Em entrevista ao Conexão Tocantins nesta quinta-feira, 8, o presidente do Sindicato, Diolindo Pinto da Cruz frisou que até os vigilantes que atuam no transporte de valores nos carros fortes também pararam hoje. “Não vamos voltar enquanto não cumprirem o acordo”, disse.

O Sindicato cobra cumprimento de acordo feito no Ministério do Trabalho e Emprego que permitiria aumentar o salário da categoria de R$ 859 para R$ 975 incluindo mais 2% de risco. “Infelizmente passou o quinto dia últil e eles não cumpriram o acordo. Pedimos desculpas à sociedade mas estamos correndo atrás de nossos direitos”, salientou.

Nesta quinta-feira haverá mais uma reunião no MTE para tentar fechar um acordo com a categoria. As empresas privadas que possuem serviço de vigilância são as principais prejudicadas com a greve.