Campo

Foto: Juliano Ribeiro

Para propiciar conhecimento sobre o manejo de pastagens e a gestão da propriedade rural, de modo a estabelecer medidas para promover uma melhor produção de leite no período de entressafra, o governo do Estado, por meio da Secretaria da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário e suas vinculadas, Adapec e Ruraltins, e o Sebrae Tocantins realizam o III Seminário Estadual do Leite e o I Encontro de Técnicos e Produtores do Projeto Balde Cheio, nesta sexta-feira, 13, no ginásio de Esporte de Colméia, região Noroeste do Estado.

O Tocantins possui uma produção atual de 233 milhões de litros, distribuídas em 15.053 propriedades rurais, e a meta do Governo do Estado, de acordo com o secretário Jaime Café, é promover o crescimento da produção leiteira em 7% ao ano, através de medidas que possibilitem a articulação dos elos que compõem a cadeia produtiva do leite, com a integração dos setores pela Câmara Setorial do Leite. Café argumenta que ao promover o seminário a Secretaria, o Sebrae e demais instituições visam ainda atender a demanda das agroindústrias do setor, no sentido de ampliar a produção leiteira no Estado.

O Secretário frisa que existe hoje uma capacidade produtiva ociosa, que pode ser melhor aproveitada com o incentivo e a inovação tecnológica no campo. “O seminário está contemplado na ação de organização das cadeias produtivas do agronegócio, o objetivo é promover o desenvolvimento regional com geração de emprego e renda, fortalecendo o setor agropecuário, em especial os produtores de leite, com a troca de conhecimentos sobre o manejo de pastagens e a gestão da propriedade rural”, completa.

Para o coordenador de Desenvolvimento Animal da Seagro, Claudio Luiz Sayão Lobato, ao associar o III Seminário Estadual do Leite e o I Encontro de Técnicos e Produtores do Projeto Balde Cheio, que cuida de gestão e de tecnologias de produção de leite, foi uma forma encontrada pelas instituições da Câmara Setorial do Leite para unir esforços na busca da profissionalização do produtor, com a adoção de tecnologias que propiciem melhores resultados para o empresário do setor.

Programação

A programação começa, a partir das 8h e prossegue até às 18h. Serão realizadas palestras sobre legislação e qualidade do leite, manejo de pastagens, obtenção higiênica do leite pelas instituições governamentais como Seagro, Ruraltins, Adapec e por instituições de capacitação de produtores. Palestra ministrada pelo Sebrae sobre a situação e perspectivas do projeto Balde Cheio no Estado e a apresentação do caso de sucesso em cooperativismo e associativismo em produção no estado de Goiás, pelo diretor da Aproleite – Associação dos Produtores de Leite de Palminópolis, Edson Pedro Alves Souza.

Também serão repassadas cartilhas sobre a Instrução Normativa nº 51 do Mapa – Ministério da Agricultura, da Pecuária e do Abastecimento e cartilhas sobre o kit Embrapa de Ordenha Manual. Um evento destinado a produtores, empresários de laticínios, integrantes de associações e cooperativas do setor, bem como estudantes e pessoas ligadas ao setor, com o objetivo de fortalecer a produção e melhorar a competitividade do leite tocantinense.

Histórico

O I e o II seminários foram realizados em Araguaína onde foram abordados temas como: viabilidade de irrigação de pastagens em sistema de produção, produtividade versus sustentabilidade nos sistemas de produção, utilização da cana de açúcar na alimentação animal, ordenha manual, sanidade animal na pecuária do leite. Participaram dos encontros mais de 800 pessoas e para este ano o público previsto é de 500 participantes.

Apoio

Apoiam o encontro a UFT – Universidade Federal do Tocantins, Senar Tocantins, Prefeitura Municipal de Colméia, Sindicato Rural de Colméia, Laticínio Aguiar, Laticínio Colinas, Laticínio Coopag, Laticínio Cremolat, Laticínio Fortaleza, Laticínio Guerra, Laticínio Palac, Laticínio Pureza, Laticínio São Francisco, Laticínio Volanda, Laticínio LBR e Laticínio Leite Mel. (Ascom Seagro)