Campo

Foto: Ascom Adapec

Cerca de 40 mil animais morrem a cada ano infectados pela Raiva no País, representando um prejuízo na ordem de 30 milhões de reais para a economia nacional. Foi buscando minimizar esses índices que a Adapec está trazendo para a programação da Feira Agropecuária do Tocantins – Agrotins, a clínica tecnológica sobre Raiva dos Herbívoros.

Na clínica, estão sendo abordados os objetivos do Programa Estadual de Controle da Raiva dos Herbívoros, suas estratégias de ação, a exemplo das ações de capturas do morcego hematófago, principal transmissor da raiva na zona rural.

De acordo com o responsável técnico pelo Programa, o médico veterinário José Emerson Cavalcante, após a notificação do produtor, uma equipe da Adapec vai à propriedade para realizar a coleta material para exame laboratorial, acompanha as vacinações, assim como realiza o controle populacional do morcego hematófago.

Além disso, estão sendo apresentadas as formas de transmissão e sintomas da doença, as incidências da Raiva no mundo, o relato de casos da patologia em humanos e as formas de tratamento.

Na ocasião, Cavalcante ressalta a relevância da vacinação contra a Raiva, que apesar de não ser obrigatória, é extremamente importante para preservação da sanidade animal, pois evita prejuízos econômicos aos produtores com a perda dos animais. “O calendário de vacinação contra a Raiva fica a critério do produtor. Porém, recomendamos os meses de manejo do rebanho, a exemplo do que é feito para a vacinação contra a febre aftosa, para também vacinar contra a Raiva e a brucelose”, reforça.

Segundo José Emerson, dos três tipos de morcegos hematófagos existentes, o principal transmissor da doença aqui no Estado é a espécieDesmodus rotundus.

Raiva

A doença, que é incurável, é transmitida aos animais sadios através da pele ou da mucosa, por moderdura, arranhadura ou lambedura de animais infectados. Uma vez infectado, o animal apresenta sintomas como apatia, perda de apetite, salivação abundante. Nos estágios mais graves da doença, o animal apresenta movimentos desordenados, tremores musculares e ranger de dentes, decúbito lateral (deitar de lado) e por fim, morte. Por isso a importância da vacinação, que deve ser feita anualmente, independente da faixa etária do animal.

Adapec na Agrotins

Além de levar informações essenciais aos visitantes da Feira, as clínicas tecnológicas são espaços onde ocorrem trocas de informações e muitas dúvidas são sanadas. Ciente da importância deste momento para o produtor rural, a Adapec preparou uma programação especial para essa edição da Feira.

De 9 a 11 de maio estão ocorrendo as clínicas tecnológicas sobre Sanidade Avícola e Inspeção de Produtos de Origem Animal. Além disso, a Agência traz um mini laticínio de processamento de queijo, onde é demonstrada na prática a produção deste tipo de alimento. No stand institucional, técnicos da Agência tiram dúvidas e distribuem de cartilhas educativas sobre sanidade, defesa e inspeção animal e vegetal. (Ascom Adapec)