Esporte

Foto: Divulgação

O garoto Felipe Augusto Pereira da Silva, de 15 anos, da Associação de Atletismo de Aliança do Tocantins, passou no teste da equipe Pé de Vento, de Petrópolis/RJ. Com a conquista o jovem atleta irá competir pelo conceituado clube por onde já passou Frank Caldeira, uma das maiores revelações do atletismo brasileiro nos últimos anos, medalha de ouro no Pan-Americano do Rio em 2007 e Ronaldo da Costa, recordista da Maratona Mundial de 1998 em Berlim. Pé de Vento também é atualmente a equipe de Damião Anselmo, considerado um dos três melhores atletas do País.

Felipe Augusto foi indicado ao teste pelo premiado atleta tocantinense Eliésio Miranda, que também compõe a Pé de Vento. Por telefone, Felipe disse que o teste foi realizado na manhã da última terça-feira, 24, com uma corrida de 12 minutos no percurso de 1,270 metros. “Estou muito feliz e muito grato por ter encontrado pessoas que acreditaram no meu potencial, consegui fazer 3660 metros no tempo proposto e fui aprovado”, disse.

No último domingo, 22, Felipe participou da Corrida ‘Bote Fé na Vida’, em Petrópolis e conquistou a 5ª melhor colocação geral. A corrida contou com 800 competidores no percurso de 5 km de corrida e 2,5 de caminhada.

A nova residência de Felipe passa a ser a Casa do Atleta, em Petrópolis. “A distância da família não será obstáculo, pois esse é o sonho dele que ama o que faz. Penso que ele será um grande vencedor, pois sempre queremos o melhor para os nossos filhos”, afirmou a mãe de Felipe, Cristiane Pereira.

De acordo com Felipe, agora inicia a fase de acertar os detalhes para sua filiação no clube, como a definição do valor da bolsa auxílio “pois as despesas de alimentação, saúde, esportiva e estudantil serão todas por conta do Pé de Vento”, disse.

A mãe de Felipe nomeou por meio de procuração, o presidente da Pé de Vento, o médico e treinador de atletismo, Antônio Henrique Dias Viana, como procurador e responsável por Felipe para assinar a filiação ao clube, bem como documentos e autorização para viagens para competição.

Felipe começou no atletismo em 2011 e neste curto período já faz parte da elite do Estado. Dentre as corridas em que competiu foi destaque com as primeiras colocações. Dentre as competições destacam em Palmas: a Meia Maratona, Corrida do Fogo e Aniversário da Cidade. Fora do Estado participou da São Silvestre, Corrida Criança Esperança em Goiânia e Campeonato Brasileiro de Atletismo em Rio Claro/SP. Ele também foi o único representante do Tocantins no Campeonato Brasileiro de Atletismo em Londrina/PR, em junho deste ano.

“Certamente Felipe tem muito talento, pois será treinado pelo melhor técnico do Brasil. Essa conquista se deve principalmente pelo incentivo do professor Dinga, que faz um trabalho importante para a formação dos jovens e que já é destaque no Estado”, frisou o atleta e professor universitário, Gil Rodrigues dos Santos.

“Ele sempre foi destaque na escolinha, muito dedicado e disciplinado. Quando eu não podia está junto, ele treinava sozinho e isso é uma característica de um vencedor. O difícil foi a gente ter conseguido levar o menino para o Rio, agora ele será um grande profissional, não tenho dúvidas”, disse emocionado, o professor Nivaldo Louzeiro (Dinga), da Associação de Atletismo de Aliança do Tocantins.

Sobre a Pé de Vento

A Pé de vento foi fundada em fevereiro de 1983, pelo treinador e médico da equipe, o doutor em medicina ortomolecular, Henrique Vianna. Ao longo de sua existência a Pé de Vento conquistou títulos pelo mundo. Hoje seja apontada como uma das maiores equipes de fundo da América Latina e também a maior do Brasil, possuindo dois dos três melhores fundistas do país (atleta que participa em provas de longa distância ou de fundo).

Associação Atlética Pé de Vento Petrópolis (AAPV) é uma organização não-governamental de caráter desportivo para dar continuidade aos trabalhos assistenciais que Henrique Viana vinham, até então, desenvolvendo paralelamente ao atletismo.

Desde sua fundação a equipe colheu histórias de muito sucesso, mas foi em 1986, três anos após a fundação, que surgiu o primeiro ídolo da equipe Artur Castro, que bateu diversos recordes, conquistou títulos e foi apontado na época como o melhor atleta brasileiro. (Assessoria de Imprensa)