Palmas

 O Sindicato dos Profissionais da Enfermagem no Estado do Tocantins – SEET, notificou o prefeito de Palmas, Carlos Amastha e o Secretário Municipal da Saúde, Nicolau Esteves quanto as atuais condições de trabalho dos Enfermeiros, Técnicos e Auxiliares de Enfermagem, que trabalham no SAMU – o Sistema de Atendimento Móvel de Urgência de Palmas. Entre as reivindicações, alimentação, reajuste nas gratificações.

 

Segundo os funcionários, a alimentação é de baixa qualidade. Não há lugar para acomodar devidamente as marmitas e quando há algum atendimento de emergência entre 12h e 14h, há um prejuízo, já que falta a estufa para manter a temperatura das refeições não funciona mais.

 

Outra queixa é quanto às condições das ambulâncias usadas no atendimento. Em algumas viaturas o ar condicionado está quebrado. Por conta disso as janelas ficam abertas para diminuir o efeito do calor, sem falar nos medicamentos expostos ao vento e ao calor, sem falar das citações acima. Ainda segundo o Sindicato, muitos veículos estão sucateados, outros encostados no pátio. As instalações sanitárias também precisam de melhorias.

 

Os servidores também reclamam das gratificações que não são reajustadas há mais de oito anos.O presidente do Seet, Ismael Sabino da Luz, cobra uma posição do governo municipal.“Alguns dos problemas citados são simples de resolver se houver o mínimo de esforço, já outros são mais complexos, porém para uma boa assistência são igualmente necessárias. Esperamos que haja uma boa vontade dos gestores. Vamos acompanhar isso de perto!”, disse o presidente. (Com informações do Seet)