Palmas

Foto: Divulgação

O potencial de desenvolvimento de Palmas, aliado ao planejamento que tem sido elaborado pela atual gestão, são diferenciais que resultaram na escolha da cidade para implantação da iniciativa Cidades Emergentes e Sustentáveis, desenvolvida pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) em parceria com a Caixa Econômica Federal.  O princípio do projeto ocorreu na tarde desta última quarta-feira, 11, com solenidade realizada na Capital. Além de Palmas, apenas João Pessoa (PB), Florianópolis (SC) e Vitória (ES) foram contempladas.

No evento o prefeito Carlos Amastha salientou sua primeira audiência no BID, ainda em outubro do ano passado, quando apresentou as diretrizes pensadas para o desenvolvimento de Palmas. “É um sonho que hoje se torna realidade. Quando fui para Washington, conversar com o presidente do BID foi porque entendia que se a gente pudesse inserir Palmas no contexto desse projeto abriríamos uma janela para o mundo. Essa ação conjunta com o BID e a Caixa com certeza absoluta nos levará a um novo patamar de desenvolvimento”, comemorou.

Em um prazo de até sete meses será elaborado o Plano de Ação Palmas Sustentável, que conterá o diagnóstico da capital, com os projetos adequados para cada prioridade, que posteriormente serão financiados pelo Banco. De acordo com Amastha, a questão de Palmas ser uma jovem capital é um diferencial positivo. “O BID investe milhões para corrigir erros de planejamento e ocupação desordenada em grandes cidades, por que não investir em uma cidade nova, em expansão, que tem tudo para ser a cidade latino-americana de destaque. Acredito que no prazo de até um ano teremos esses recursos sendo investidos na cidade”, disse o prefeito.

Em seu discurso, a representante do BID no Brasil, Daniela Carrera Marquis, enfatizou a atuação do banco no fomento e desenvolvimento de cidades na América Latina e Caribe. “O BID enxerga a grande importância das cidades e sua força de crescimento e para nós é uma satisfação participar desse processo de transformação de Palmas, que deverá contar com a participação de toda a população”, explicou a representante do BID.

A inserção da capital na iniciativa do órgão internacional foi destacada pelo superintendente nacional de Programas Sociais da Caixa, Ivan Domingues. “Palmas alcança um patamar importantíssimo com a sua inserção nessa agenda internacional. Será um novo momento para essa jovem cidade que oferece condições para a implantação do programa. Os resultados serão ganhos para toda a sociedade e a cidade evitará os gargalos enfrentados pelos grandes centros urbanos”

Sobre o Programa

O principal objetivo da Iniciativa de Fomento às Cidades Emergentes e Sustentáveis é lidar com desafios em cidades emergentes da América Latina e do Caribe. A meta do projeto é integrar a sustentabilidade ambiental e fiscal, o desenvolvimento urbano e a governabilidade. Por meio da parceria entre BID e da CEF, a iniciativa espera promover o apoio a ações que proporcionem serviços básicos e garantam a proteção ao meio ambiente, bem como níveis adequados de qualidade de vida e emprego.

Entre outros critérios, também foi avaliado o contingente populacional, que deve estar entre 200 mil e dois milhões de habitantes, e a capacidade institucional das cidades. Os municípios estão em uma etapa na qual é ainda possível aproveitar suas economias de escala e controlar os custos da aglomeração, melhorando a eficiência dos serviços urbanos.

Adensamento urbano, mobilidade e transporte, sustentabilidade e desenvolvimento econômico são algumas das áreas que receberão investimentos por meio do projeto. Inicialmente será investido R$ 1 milhão proveniente do Fundo de Sustentabilidade da Caixa, para custear o Plano de Ação Palmas Sustentável, que conterá o diagnóstico e projetos que posteriormente serão financiados pelo BID.