Estado

Foto: Frederick Borges

O grupo inglês ECP – Earth Capital Partners, que possui um fundo internacional de investimentos, pretende iniciar as atividades no Brasil. O Tocantins foi escolhido para iniciar as atividades. O ECP investe em projetos com foco na sustentabilidade e é apoiado pela Fundação Nobel, Nobel Sustainability Trust, que garante as ações desenvolvidas pelos empreendimentos financiados pela empresa.

Os representantes da Fundação, que tem como presidente, Gustaf Nobel, da família Nobel, famosa pelo prêmio Nobel, estiveram nesta quarta-feira, 04, reunidos com o governador Siqueira Campos, e com o secretário executivo da Sedceti – Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcos Jair de Aguiar, que representou o secretário da pasta Paulo Massuia, além de instituições de ensino e de pesquisa.

Os representantes da empresa vieram ao Tocantins, através de uma negociação realizada durante a edição do projeto O Brasil no Tocantins, que foi realizada em São Paulo, na sede da Fiesp – Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, no início do mês de outubro desse ano.

Durante a reunião de hoje, os investidores apresentaram a configuração dos investimentos em sustentabilidade e como isso poderá contribuir com o desenvolvimento do Estado. O diretor da Earth Capital Partners, Marcelo de Andrade, que administra o capital da família Nobel, explicou que o Fundo vai funcionar com captação de investidores internacionais que estão interessados em investir no Brasil. Este é o primeiro País a receber o investimento, sendo a porta de entrada o Tocantins, pelo grande potencial de desenvolvimento e sustentabilidade.

“É um fundo mundial, onde investidores internacionais colocam dinheiro, e em cima disso nós vamos criar um fundo nacional, no Brasil, onde os investidores brasileiros, como instituições financeiras e de ensino brasileiras irão colocar seu dinheiro, como por exemplo o Banco da Amazônia, e temos muito interesse já que  o Tocantins é o acesso para a região Amazônica”, explica Andrade.

A Fundação que traz o conceito da família Nobel, vai financiar uma nova categoria de prêmio Nobel, o Prêmio Nobel de Sustentabilidade, que deverá ser lançado em 2015, onde empresas do mundo inteiro que trabalham sob esse prisma poderão participar.

O presidente da Fundação, Gustaf Nobel, destacou que serão realizados trabalhos de incentivo à elaboração de projetos voltados para a sustentabilidade, a partir de três etapas. A primeira é a criação do Prêmio Nobel de Sustentabilidade, a segunda será a realização de conferências sobre sustentabilidade e a última etapa é o Fundo de Investimentos propriamente dito. “O Tocantins é um dos Estados brasileiros que experimenta um grande desenvolvimento e, por isso, queremos começar esse projeto por aqui, o apoio do Governo é fundamental”, destaca Nobel.

O governador Siquera Campos, demonstrou total interesse em receber esta parceria e destacou que o desenvolvimento sustentável no Tocantins garante à população benefícios importantes. “O Estado precisa de investimentos e atividades econômicas sustentáveis”, pontuou o governador, colocando a disposição dos investidores toda a equipe de Governo e instituições de pesquisa.

Investimentos

“Nossa intenção é voltar ainda neste mês de dezembro para uma reunião com representantes do Banco da Amazônia para que possamos acelerar esse processo. Inicialmente o fundo seria de cerca de U$ 100 milhões de dólares, mas, é a qualidade dos projetos que irá determinar o valor dos investimentos”, diz o diretor da ECP, Marcelo de Andrade.

O projeto deverá ter como focos: energia renovável, eficiência energética, tecnologias que contribuem com o setor de energia, agronegócios, inovação tecnológica, projetos com esse foco, e que são a vocação natural do Estado, explica Andrade.  

O secretário executivo da Sedecti, Marcos Jair de Aguiar, comenta que podem participar dos financiamentos empresa novas e empreendimentos já existentes, desde que os projetos tenham foco na sustentabilidade.

“Um projeto que já chamou a atenção da empresa foi o Parque Tecnológico, que tem o apoio total do Governo do Estado. Os ingleses demonstraram interesse nesta parceria com projetos que busquem o desenvolvimento sustentável, visando não somente o fomento econômico, mas principalmente a sustentabilidade”, destaca Marcos Jair.