Polí­tica

Foto: Divulgação

O petista e ex-prefeito de Porto Nacional, Paulo Mourão, esclareceu nesta quarta-feira, 9, por meio de nota, que, quando declarou em entrevista ao Conexão Tocantins que a indicação do ex-presidente regional do PT, Donizeti Nogueira, para a suplência da senadora Kátia Abreu (PMDB) vai prejudicar a candidatura da senadora, quis dizer que, a única vez que foi perseguido para não ter a sua candidatura registrada foi no passado por Eduardo Siqueira Campos “e que agora estava vivendo a mesma dificuldade dentro do PT”.

Segundo Paulo Mourão, sua afirmação não foi com o propósito de se compreender que Eduardo estaria agindo junto à direção e militantes do Partido dos Trabalhadores. Em sua nota ele reafirma sua condição de filiado que respeita o partido. Confira abaixo a nota na íntegra.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Sobre a reportagem intitulada“Mourão diz que militância do PT está revoltada e que indicação de Donizeti é ação de Eduardo para prejudicar a candidatura de Kátia”, publicada dia 02 de julho de 2014 no site Conexão Tocantins esclareço que durante a entrevista declarei que a única vez que fui perseguido para não ter a minha candidatura registrada foi no passado pelo Eduardo Siqueira Campos e que agora estava vivendo a mesma dificuldade dentro do PT.

Mas não fiz com o propósito de se compreender que o Eduardo Siqueira Campos estaria agindo junto à direção e militantes do Partido dos Trabalhadores. Apenas fiz um comparativo da perseguição da qual fui vítima no passado por Eduardo com a dificuldade que estava vivenciando no presente.

Reafirmo a minha condição de filiado que respeita o partido, seus líderes e os companheiros que dele fazem parte, com a disposição de ajudar na unificação do PT em torno das decisões tomadas para as eleições de 2014.

Paulo Mourão