Polí­tica

Foto: Divulgação Reis é um dos maiotes defensores de Katia no ministério Reis é um dos maiotes defensores de Katia no ministério

O deputado federal do Tocantins, Osvaldo Reis (PMDB) revelou ao Conexão Tocantins nesta quinta-feira, 30, que pretende conversar com o vice-presidente Michel Temmer para ajudar nas articulações de uma possível indicação da senadora  Katia Abreu (PMDB) para o Ministério da Agricultura do Governo Federal. O nome da senadora já vem senso citado por alguns articulistas nacionais para ocupar o ministério. Katia atualmente é presidente da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Tocantins – CNA.

“A Katia tem um bom relacionamento, é conhecedora do nosso Estado e além disso o Tocantins nunca teve um ministro”, disse.Para o deputado a possível ascensão de Katia no ministério significaria uma vitória para o Estado. “Ela tem experiência já reconhecida nacionalmente, é defensora e referência na área”, disse.

Segundo Reis, o vice-presidente defende o nome de Katia. “ O Temmer é um defensor do nome da Katia e com certeza ela será ministra”, apostou. O deputado disse ainda que vai conversar com o governador eleito, Marcelo Miranda (PMDB) para participar de uma reunião com Temmer no intuito de discutir o assunto.

Na campanha eleitoral Katia foi uma das maiores defensoras de Dilma no Estado e em razão disso conseguiu agregar o Partido dos Trabalhadores que indicou seu primeiro suplente, o ex-presidente do partido, Donizeti Nogueira. Ao Conexão Tocantins Nogueira comentou tal possibilidade e frisou que se for do entendimento da presidente Dilma e da senadora ele está preparado para assumir a cadeira no Senado.

A senadora ainda não se manifestou sobre as especulações em torno de seu nome para a indicação no ministério.

Repercussão nacional

Esta semana a mídia nacional repercutiu o assunto e ao aventar a possível indicação de Katia um veículo chegou a dizer que a presidente  já sinalizou que gostaria de levar a senadora Kátia Abreu (PMDB) para o Ministério da Agricultura, mas não será algo pacífico no partido.

Os nomes dados como nomes certos para trabalhar com a presidente a partir de 2 de janeiro são os governadores da Bahia, Jaques Wagner (PT), e do Ceará, Cid Gomes (PROS); e o ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab (PSD).