Estado

Foto: Divulgação

O Jornal Nacional divulgou na noite da última terça-feira, 25, a falta de máquinas de radioterapia no Estado do Tocantins para atendimento a população. De acordo com reportagem, a única máquina da rede pública que atendia os tocantinenses está quebrada há duas semanas sem prazo para retorno aos atendimentos.

Inúmeros pacientes necessitam de tratamento de radioterapia e a única máquina para atendimentos a esses pacientes fica instalada no Hospital Regional de Araguaína, no norte do Estado, e atende também pacientes do sul do Pará e sul do Maranhão.

A justificativa dada pelo físico responsável Hendey da Silva Carvalho, é que a peça em que apresentou problemas na máquina de radioterapia não se encontra no Brasil e necessita ser importada.

De acordo com reportagem, devido a população de 1,5 milhões de pessoas, o Tocantins deveria ter três equipamentos de radioterapia, como recomendado pela Organização Mundial de Saúde. O Governo do Tocantins teria informado que comprou a segunda maquina em parceria com a Ministério da Saúde, mas que está parada em alfândega esperando liberação. Ainda falta construir a estrutura para receber o equipamento. O Governo informou prazo de seis meses para o funcionamento desta segunda máquina de radioterapia no Tocantins.

Outra máquina foi prometida pelo Ministério de Saúde para o ano que vem, dependendo de obras para a instalação.

O Ministério Público cobrou e o Governo do Estado tem 72 horas para dar informações à justiça sobre a situação. 

Situação delicada

A saúde no Tocantins está em situação delicada. Na última segunda-feira, 24, o Diário Oficial do Estado trouxe a exoneração a pedido do secretário de Saúde, Luiz Antônio da Silva Ferreira. O secretário responsável pela Secretaria da Saúde, no momento, é Márcio Carvalho da Silva Correia. 

Com a exoneração, em apenas quatro anos, já se passaram 8 secretários na pasta. Luiz Antônio foi nomeado em maio deste ano quando Vanda Paiva deixou a pasta. Desde 2011 a Sesau já teve oito secretários: Arnaldo Nunes, Raimundo Boi, José Gastão Almada, Nicolau Esteves, Leonardo Castro de Oliveira, Vanda Paiva, Luiz Antonio e agora Marcio carvalho.

Outros problemas enfrentados e que são reclamados é a qualidade de alimentos servidos nos Hospitais, acúmulo de lixo, falta de equipamentos de uso individual, etc.