Estado

Foto: Conexão Tocantins

Na última sexta-feira, 16, houve uma reunião no Ministério Público do Trabalho (MPT) com representantes do Sindicato dos Vigilantes do Tocantins (Sintvisto) e Sindicato das Empresas de Segurança Privada, de Transporte de Valores, de Curso de Formação e de Segurança Eletrônica do Estado (Sindesp) no sentido de solucionar a greve dos vigilantes no Estado. Segundo informou Erinal Barbosa ao Conexão Tocantins na manhã desta segunda-feira, 19, não se chegou a um consenso e os vigilantes continuam em greve por tempo indeterminado. 

Na sexta, o Sintvisto apresentou como reivindicações da categoria o reajuste salarial da categoria em Índice Nacional de Preços ao Consumidor INPC mais 4% de ganho real, aumento do valor do ticket alimentação de R$ 13,50 para R$ 18,00 e implantação dos planos de saúde e odontológico para a categoria, mas a reunião terminou sem um consenso. 

Segundo Erinal, os empresários estudarão uma nova proposta nesta segunda-feira. Na terça-feira, 20, deverá acontecer outra reunião entre os representantes dos sindicatos no Ministério do Trabalho.

O Sindicato dos Bancários no Estado (Sintec-TO) protocolou carta na Polícia Federal, no Ministério Público do trabalho (MPT), na Delegacia Regional do Trabalho e em todas as agências bancárias do Estado alertando sobre as diversas denúncias de bancários que estão trabalhando sem a mínima segurança devido a greve.

Greve 

As agências bancárias do Estado não estão realizando atendimento desde a última quinta-feira, 15, quando a greve foi deflagrada pela categoria dos vigilantes.