Estado

Foto: Divulgação

A convite do consórcio que administra o Terminal de Grãos do Maranhão (Tegram), formado pelas empresas Nova Agri, Glecore, CGG Trading, Amaggi e Louis Dreyfus, o site Conexão Tocantins conheceu junto com outros jornalistas do País a estrutura e logística do mais novo Terminal Logístico no Porto de Itaqui, em São Luis/MA, que beneficia, entre outros estados, o Tocantins. Atualmente são mais de mil servidores que trabalham na estrutura do terminal, que opera no Porto de Itaqui, propiciando a implementação da exportação de commodities agrícolas e minerais. 

As operações no Tegram e a descarga acontece com quatro vagões por vez. São duas mil toneladas por hora. O terminal utiliza equipamentos modernos e é na cabine de operações que a equipe controla todo o trabalho de descarga de vagões e caminhões até o embarque nos navios. O sistema é adaptado e coordenado de maneira que, caso seja identificada alguma falha, toda a rede é bloqueada, conforme explicou o Jeferson Shulz que planeja e coordena as operações. 

Com relação à segurança do terminal, são 138 câmeras na estrutura do Tegram que funcionam 24 horas através do circuito de segurança. O porta voz do Tegram, Luiz Claudio, mostrou ainda a moega ferroviária por onde vem a carga via Ferrovia Norte Sul. No caso do Tocantins as cargas transportadas partem especificamente das cidades de Porto Nacional e Palmeirante.

O sistema de controle de pesagem também já está funcionando. Os caminhões fazem o agendamento prévio, passam por uma triagem antes de acessar o pátio, apresenta a documentação e depois são encaminhados para a pesagem. A carga passa depois pela classificação do produto onde é retirado 125 gramas de amostra da carga para avaliar se o produto está apto nas normas de exportação. Todo o trabalho é feito de uma cabine equipada para apresentar o resultado em poucos minutos. “Este processo é muito rigoroso, porque se se eu não rejeitar aqui a carga pode ser rejeitada no navio o que é muito pior e dificulta mais ainda a logística, Trabalhamos dentro dos padrões”, afirmou um dos representantes do consórcio, Tiago Guideli em entrevista ao Conexão Tocantins.

Aprovada a carga, o caminhão vai para a esteira rodoviária onde faz a descarga do produto através de uma plataforma de 26 metros. São cerca de 200 caminhões por dia podendo ser atendidos até dois por vez.

Após esse processo a carga é direcionada para os navios. A China é um dos países que mais tem recebido cargas do Porto de Itaqui seguida pela União Europeia. A logística tem ainda dois tombadores por armazéns com capacidade de 750 toneladas por hora  

A estrutura ainda conta com um pátio de apoio para os caminhões para facilitar o acesso aos armazéns. Os caminhões são previamente agendados. “Se não tiver agendado não entra para não congestionar as portas do Porto”, disse o representante do consórcio. Segundo o consórcio, o sistema do Tegram é 100%  automatizado, um dos mais modernos do mundo com relação a pesagens de caminhões e descarregamento da carga.