Polí­tica

Foto: Divulgação

Durante a sessão desta quinta-feira, 23, na Câmara de Palmas, o vereador Milton Neris (PP) lançou críticas pesadas contra o prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB), por acusar o vereador de, juntamente com o ex-vereador Ivory de Lira, articularem com o empresário e presidente do Sindicato dos Revendedores de Combustíveis do Tocantins (Sindposto), Eduardo Augusto Rodrigues Pereira (Dudu Pereira), o impedimento de aprovação de Projeto de Lei, encaminhado a Casa pelo gestor, que revogaria restrições à abertura de novos postos de combustíveis em Palmas. O empresário está sendo acusado de ser o mandante do assassinato do também empresário do setor de postos de combustíveis, Wenceslau Leobas de França Antunes (Vencim Leobas). 

Milton Neris afirmou que o prefeito é um fanfarrão, tenta desviar o foco de acusações e deveria responder o porquê de negar autorização ao empresário Wenceslau Leobas (o Vencim), assassinado. “Além de fanfarrão ele é um canastrão, acho que ele é um falastrão porque um prefeito que se indigna por algumas investigações que ocorrem no qual envolvem o seu nome e ele na tentativa de desviar o foco da investigação e ao invés de responder os motivos que o levou a negar autorização ao senhor Vencim, ele simplesmente olha para alguém fora desse contexto dele e quer achincalhar pensando que aqui tem algum bobo, algum imbecil como ele acha que somos: um bando de pangarés e um bando de índio”, afirmou Neris.

Milton Neris disse que o prefeito Amastha não respeita nem os vereadores da base. O gestor teria envolvido o líder de seu governo, vereador José do Lago Folha Filho (PTN) e o vereador Jucelino Rodrigues (PTC). “Ele não respeita nem os vereadores que dão sustentação ao seu governo”, frisou.

Bandido 

Milton Neris chegou a chamar o prefeito de Palmas, Carlos Amastha, de bandido. "Eu nunca ouvi falar na história de Palmas que um prefeito envia um funcionário da Prefeitura para ir a um escritório de um empresário que está pedindo uma anuência para montar empreendimento e dizer: Se você não aliar os preços do combustível nessa cidade, eu não lhe dou autorização. Isso é coisa de bandido! Quem faz isso é bandido!", frisou. Neris disse que o prefeito tenta encobrir sua irresponsabilidade e incompetência. 

Autorização ao Vencim

O empresário Wenceslau Leobas, de acordo com Milton Neris, buscou junto a Prefeitura de Palmas, no ano de 2013, anuência para instalação de um posto de combustível em área rural de Palmas. "Do outro lado da rodovia. Foi negado a ele desde 2013. Em 2015, os últimos parecer da Prefeitura é que não daria a ele a autorização porque havia uma discussão do Plano Diretor sobre questões de diretrizes urbanísticas do nosso município e que a Lei de num raio de 1500 metros (de distância de um posto a outro) seria alegação de não dar a ele (ao Vencim) essa autorização", disse Milton Neris. 

Segundo o vereador, a gestão passada, comandada por Raul Filho, autorizou mais de 20 empreendimentos novos de postos de gasolina. "Sabe quantos que o prefeito falastrão, canastrão, autorizou durante o seu período de prefeito até o exato momento?! Uma! E por sinal, no mesmo lugar, na mesma região, na mesma faixa de rodovia que ele negou para o senhor Vencim, que é o posto Eldorado IV", disse. Segundo Neris, para o posto Eldorado IV o prefeito não usou da Lei de 1500 metros de distância para negar autorização. 

O vereador Milton Neris foi além nas críticas. Segundo ele, o prefeito disse na delegacia, em depoimento, não aceitar "que bandidos falem do nome dele. Foi isso que ele disse na delegacia mas os bandidos que ele disse, até pouco tempo o senhor Duda o visitava no AMA, almoçava com ele no AMA, andava por ele nessa cidade em hotéis, em escritórios, era amigo íntimo e agora é um bandido. É um canastrão", disse. 

Denúncia em Audiência 

Neris informou ter participado, juntamente com o vereador Júnior Geo (Pros) e Lúcio Campelo (PR), de audiência na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em que um familiar do empresário Vencim Leobas compareceu e denunciou o prefeito Amastha por tratamento diferenciado ao Vencim "levando em conta que o proprietário do posto Eldorado IV que está na mesma faixa". Neris questiona o gestor de Palmas. "Qual foi o motivo que fez o senhor prefeito negar ao senhor Vencim, desde 2013, o que é direito dele? E se for a questão dos 1500 metros, ele novamente mentiu para a sociedade, mentiu na Delegacia ao delegado porque o Posto da Petrolíder, da 75, está a 300 metros do Posto do Eldorado IV, no qual ele deu autorização, na mesma faixa”, concluiu.