Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado federal Carlos Henrique Gaguim (PTN/TO) que já registrou candidatura à presidência da Câmara dos Deputados, informou em entrevista ao Conexão Tocantins na manhã desta segunda-feira, 11, que se estivesse no PMDB seria mais fácil a sua vitória na disputa. O deputado, entretanto, se declarou confiante na disputa para a presidência. “A única coisa que me atrapalha um pouco é a questão do meu partido. Meu partido é pequeno, tem poucos deputados. Por exemplo, se eu tivesse no PMDB, as minhas chances eram reais de ser presidente. É um partido que já começa com 70 deputados. O meu tem três. Mas infelizmente a briga interna aí (no PMDB Tocantins) me podou”, disse o parlamentar que era filiado ao PMDB e deixou o partido para migrar primeiro para o PMB e posteriormente para o PTN em decorrência das disputas internas e acordos que segundo ele não foram cumpridos quando o presidente regional do partido, Derval de Paiva, renovou 80 diretórios municipais no Estado.

O deputado disse que, mesmo com partido pequeno, continua confiante e apresentará suas propostas. “Estou querendo ir para o segundo turno”, frisou. Carlos Gaguim ainda disse que sua experiência à frente da política conta como estratégia de firmar sua candidatura à presidência da Câmara. “Fui presidente da Assembleia por dois mandatos e não tem nada meu de errado. Além de ser político sou administrador com três pós-graduações”, disse Carlos Gaguim que também já foi governador do Tocantins. O parlamentar elencou seus pontos positivos. “Sou o deputado mais assíduo, que mais participa de comissões, que mais conheço os deputados. Eu conheço por nome quase todos”, disse.

O deputado esteve à frente da criação da Frente dos Parlamentares de Primeiro Mandato. Questionado sobre o apoio que poderia obter da Frente, Gaguim disse ser preciso aguardar para saber se os partidos pela Frente pretendem também lançar candidatura. Segundo Gaguim, 200 deputados fazem parte da Frente dos Parlamentares de Primeiro Mandato.

O deputado Carlos Gaguim frisou esperar sair com pelo menos 25 votos, na eleição. “Eu espero sair com mais de 25 votos. Posso sair até com 50. Se eu chegar a 50, vou para o segundo turno”, disse.

Propostas

Carlos Gaguim informou estar estudando o regimento interno da Câmara dos Deputados e que uma de suas propostas é mudar o modo de aprovação dos projetos, na Casa. “Estou estudando o regimento interno da Casa porque o que acontece: Nós deputados novos, não conseguimos aprovar projetos novos porque geralmente gasta mais com pauta do governo. Eu, por exemplo, tenho 70 projetos apresentados e até agora não tem nenhum porque não vai para pauta. Então a gente vai fazer essa mudança para que seja automático”, disse.

Outra mudança que o deputado pretende implantar é no âmbito das discussões parlamentares. Segundo ele, é preciso ter dias para discussões e para votações.

Michel Temer

O deputado Carlos Gaguim disse que ainda não conversou com o presidente interino do Brasil, Michel Temer, sobre sua candidatura. “A minha candidatura vai ser uma candidatura independente. Quero ser o deputado presidente dos deputados da Câmara. A minha pauta é o Brasil. Matérias que forem do interesse do Brasil, a gente vai apoiar o presidente da República e matérias que não forem do interesse, for contra a população, vou ser o juiz ali”, afirmou. 

Eleição 

A semana na Câmara dos Deputados promete ser movimentada esta semana em razão da disputa para a sucessão de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) que renunciou à presidência da Casa. O primeiro ponto de tensão gira em torno da definição da data da eleição. Desde a renúncia de Eduardo Cunha, na quinta-feira (7), aliados do peemedebista travam uma disputa com o presidente interino da Casa, Waldir Maranhão (PP-MA), que determinou a realização do pleito na próxima quinta-feira (14).

A data da eleição poderá ter seu desfecho nesta segunda-feira (11), quando haverá reuniões tanto da Mesa Diretora quanto do colégio de líderes para bater o martelo sobre a data.

Por: Redação

Tags: Carlos Gaguim, Câmara dos Deputados, PTN