Estado

Foto: Divulgação

A greve dos bancários no Tocantins continua crescendo e, nesta terça-feira, 13, completam oito dias de paralisação com 142 agências bancárias fechadas de um total de 158 no Estado. O presidente do Sindicato dos Bancários do Tocantins (SINTEC-TO), Crispim Batista Filho, avalia a greve como positiva e destaca união da categoria. 

Os bancários entraram em greve no ultimo dia 6, e reivindicam reajuste salarial de 14,78%, melhores condições de trabalho, mais saúde e segurança. “Os bancários estão mobilizados e a tendência é continuar crescendo. A greve está obedecendo tudo que a lei exige e está tranquila. Nossa luta continua em defesa dos direitos da categoria e melhorias no atendimento para população”, ressalta Batista Filho.

Uma nova rodada de negociações acontece hoje entre a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) e os representantes da categoria bancária. A reunião terá início às 14 horas, em São Paulo (SP). O Sindicato dos Bancários do Tocantins, que integra a Comissão Bancária Nacional de Negociações, será representando pelo seu presidente.

Na última sexta-feira, 9, a Federação ofereceu 7% de reajuste salarial, mais R$ 3,3 mil de abono e Participação de Lucros e Resultados (PLR) nos mesmos moldes da Convenção Coletiva de Trabalho 2015. A proposta foi rejeitada pela comissão de negociação e uma nova reunião foi marcada para amanhã, 13, às 14h em São Paulo.

Os diretores do Sintec estão dando suporte para os bancários das agências no interior do Estado. Os mesmos estão visitando as agências, ajudando no movimento grevista, além de fornecer todo material necessário para a greve, como cartazes e camisetas. Entre os municípios visitados estão Porto Nacional e Paraíso do Tocantins.

Greve legal

No fim da manhã desta terça-feira, o Procon notificou o Sindicato para que no período de greve seja assegurado 30% dos funcionários trabalhando e os caixas eletrônicos funcionando.

O sindicato afirma que referente à greve e fechamento das agências, sempre cumpriu a legislação e todas as exigências da lei de greve e também orientando a população para que os transtornos sejam minimizados. 

Segundo o Sintec, conforme exigido, 30% dos bancários estão trabalhando para que não falte dinheiro nos caixas eletrônicos, cheques sejam compensados, os depósitos por envelope efetuados, assim como todos os serviços eletrônicos. “Nosso esforço é para conquistar benefícios para a categoria e sempre obedecendo a lei. Notificamos os bancos no período exigido, realizamos assembleia e estamos cumprindo os 30% que a lei exige. Os caixas eletrônicos estão funcionando. Está sendo feita a reposição do dinheiro dos mesmos, assim como o recolhimento dos envelopes de depósito. Estamos tentando minimizar o possível os transtornos, para que a população não seja prejudicada”, explica Batista Filho.