Turismo & Lazer

Foto: Divulgação

A apresentação do plano de ação do Projeto de Pesca Esportiva na região do Parque Estadual do Cantão foi realizada na última sexta-feira, 08, na sala de reuniões da SIC – Secretaria Estadual da Indústria e do Comércio. 

Entre os pontos destacados no encontro estavam as ações já implantadas, como a formalização do Termo de Cooperação Técnica entre o Governo do Estado e a Anepe – Associação Nacional de Ecologia e Pesca Esportiva e a realização de reuniões in loco com as comunidades contempladas pelo plano. 

O secretário-executivo da SIC, Marcos Jair, que representou o presidente da Adtur – Agência de Desenvolvimento Turístico, Paulo Massuia, enfatizou que as ações propostas irão beneficiar todos os grupos envolvidos: sociedade, empresários, comunidade pesqueira e pescadores profissionais. “O projeto para a prática da pesca amadora no Tocantins não exclui ninguém. Os pescadores profissionais, por exemplo, serão importantes parceiros da causa, atuando como agentes fiscalizadores na região em que estão inseridos. O Governo do Estado sabe que muitas pessoas vivem da pesca e é por isso que esta ação tem como principal foco a sustentabilidade econômica e social”.

O coordenador do projeto, Anderson Santana, destacou a importância de envolver os presentes na elaboração de todos os passos do projeto. “Precisamos da contribuição dos grupos que serão alcançados, principalmente dos pescadores, que conhecem tudo o que é necessário para a criação de um roteiro turístico nesta modalidade, como por exemplo, a melhor época para se encontrar cada tipo de peixe”, explica. 

Além de debater ideias, a reunião diagnosticou os principais gargalos da prática da pesca esportiva na região, como a falta de conscientização ambiental e fiscalização da pesca na área. “Muitos não têm a consciência de preservar, justamente por acharem que há muita quantidade de peixe disponível. Infelizmente, este é o pensamento comum de vários pescadores ainda hoje. Estas pessoas não conseguem sequer pensar na ideia de que o peixe vivo pode ser fonte infinitamente mais lucrativa que a ação predatória”, explica Santana. 

Para o representante da Associação de pescadores de Caseara, Luis Justino, o projeto apresenta novas oportunidades à classe. “Sou pescador desde criança, gosto muito do que faço, mas hoje, pescar para comercializar seria a minha última opção. O dinheiro é pouco e o trabalho é muito explorado. Para muitos como eu, a pesca esportiva significa oportunidade de ganhar mais, trabalhando de outra forma”. 

A ação está focada em aproveitar a potencialidade da região como forma de proporcionar desenvolvimento sustentável. O empresário Leonardo Azevedo, proprietário de Agência de Turismo CCTrekking, em operação na cidade de Caseara, tomou conhecimento do projeto e o classifica como promissor. “O planejamento estratégico da minha empresa já estava pronto e foi apenas participando das reuniões da coordenação do projeto que percebi a pesca recreativa como um grande atrativo para o Estado, mesmo conhecendo o grande potencial do Cantão para esta atividade, devido à variedade de peixes e à quantidade de lagos na região, mais de 800 só dentro do Parque”. 

O representante da Secretaria de Turismo do mesmo município, Ronan Almeida, explicou a viabilidade da execução de trabalhos voltados para a conscientização da sociedade, que deverão ser realizados a partir da sala de aula e através de monitoramento das áreas visitadas.  

Segundo ele, “as propostas levantadas irão contribuir para a descentralização da renda e um bem maior para a o meio ambiente. Conheci pessoas que cresceram pescando sem nenhuma preocupação com o meio ambiente, justamente por não conhecerem uma forma alternativa da prática, enquanto hobby e fonte de renda. Hoje, essas pessoas são agentes ambientais que trabalham em busca da preservação da região”. 

Após a reunião, foram estipulados os próximos passos, entre eles, a apresentação do plano de ação aos representantes dos demais órgãos do Estado, a coordenação de eventos como campeonatos de pesca e a inclusão do tema na Agrotins 2013. (Ascom SIC)